Totvs: em dia de horror na bolsa, ação desaba 10% após balanço

Papéis da companhia, a maior empresa de software brasileira, lideram perdas do Índice Bovespa
Totvs: negócio de software de gestão segue com forte expansão, mas novas unidades decepcionam investidores (Totvs/Divulgação)
Totvs: negócio de software de gestão segue com forte expansão, mas novas unidades decepcionam investidores (Totvs/Divulgação)
Por Karina SouzaPublicado em 05/05/2022 14:50 | Última atualização em 05/05/2022 15:37Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Totvs lidera as quedas do índice Ibovespa um tombo de 10% nas ações nesta quinta-feira, após a divulgação de resultados mostrar números aquém do esperado pelos investidores nas áreas de business performance e techfin. Os números gerais da companhia continuam para lá de robustos, mesmo assim o tombo é grande e é difícil separar o que vem do negócio e o que vem do mau humor generalizado do mercado. Há pouco, as ações estavam cotadas a R$ 29 — valor ainda distante da mínima do último ano, quando foi negociada a R$ 23,96, mas cada vez mais longe da máxima, que foi aos R$ 41,24. Com isso, a companhia atualmente está avaliada em R$ 17,6 bilhões na bolsa.

Apesar do desempenho consistente na frente de software de gestão, origem da Totvs, as novas frentes de negócio — business performance e techfin — decepcionaram. Com isso, os números do trimestre ficaram abaixo das expectativas. De janeiro a março, a o lucro líquido ficou quase em R$ 85 milhões, uma ligeira expansão frente os R$ 81 milhões de igual período de 2021, mas abaixo dos R$ 126 milhões registrados no quarto trimestre.

A vertical financeira, que mais incomodou os investidores, teve queda de 10% na receita em comparação com o quarto trimestre do ano passado -- um efeito relacionado à alta de juros no ambiente macro -- e a velocidade de produção de crédito ficou estagnada. As leituras variam. Para o Goldman Sachs, a queda na operação de tecfhin anulou o ganho em ERP. Já para o Itaú, é o contrário: a expansão na frente de software de gestão mais do que compensa a redução na frente financeira. Os analistas do banco nacional apontam que a receita recorrente da empresa teve expansão de 27% na comparação anual, o que reforça a aposta na empresa para os próximos meses.

VEJA TAMBÉM

Vale lembrar que a Totvs anunciou a formação de uma joint-venture com o Itaú, o que torna natural a companhia colocar o pé no freio na operação financeira. O mercado recebeu bem o anúncio da transação, mas o Goldman Sachs aponta os riscos de execução dessa combinação, além dos desafios macroeconômicos como pontos de atenção para os próximos meses. 

Na frente de business performance, apesar de alta de 1,7% na receita, na comparação com o quarto trimestre, o que chamou atenção foi a redução da rentabilidade. A margem de contribuição caiu para 47,7%, ante 50% e 52% na comparação com o primeiro e o quarto trimestre do ano passado, respectivamente. A companhia afirma que a redução é sazonal e tem efeitos não recorrentes, do aumento temporário nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento. 

Tudo somado, houve queda na eficiência operacional da companhia em relação ao que os analistas esperavam. A projeção do Goldman Sachs para a Totvs no período era de um Ebitda de R$ 228 milhões e a empresa entregou um valor 14% abaixo disso. Mesmo assim, o relatório do banco mantém o preço-alvo de R$ 33 para os próximos doze meses, cotação que equivale a uma relação EV/Evitda de 16 vezes.