Tesla (TSLA34) demite 200 funcionários e fecha escritório na Califórnia

Nas instalações de San Mateo são analisados vídeos dos carros da empresa para melhorar seus sistemas de assistência ao motorista, chamados de "piloto automático"
 (Foto/Reuters)
(Foto/Reuters)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 29/06/2022 às 08:44.

Última atualização em 29/06/2022 às 11:00.

A Tesla (TSLA34) decidiu fechar seu escritório na cidade de San Mateo, na Califórnia, demitindo 200 funcionários.

A informação foi divulgada pela imprensa americana nesta quarta-feira, 29, e faria parte de um amplo esforço da Tesla para cortar custos.

Nas instalações de San Mateo, centenas de funcionários trabalham na análise de vídeos dos carros da empresa para melhorar seus sistemas de assistência ao motorista, comercializados sob o nome de "piloto automático".

Dois funcionários demitidos, que pediram para não serem identificados, disseram à rede americana CNBC que sabiam que o contrato de trabalho na Tesla estava chegando ao fim.

A Tesla já tinha transferido anteriormente vários de seus funcionários do setor de análise de dados do "piloto automático" para sua sede em Palo Alto, na Califórnia.

A empresa também vem contratando e treinando equipes de análise de dados em Buffalo, no estado de Nova York.

Um funcionário disse à CNBC que grande parte da equipe de San Mateo esperava ser transferida para Palo Alto ou para outro escritório, mas não perder o emprego.

O trabalho por esses funcionários de análise de dados da Tesla envolve identificar e descrever objetos que aparecem em vídeos curtos gravados por câmeras e sensores em veículos da Tesla.

Às vezes, os analistas de dados precisam identificar objetos sobrepostos, como um pedestre obstruindo a visão completa de um sinal de parada.

Os funcionários são avaliados na base de quantos clipes anotam com precisão em curtos períodos de tempo.

Plano de cortes na Tesla (TSLA34)

A Tesla está prestes a cortar cerca de 10% de seu quadro de funcionários, mas já tem planos de contratar mais trabalhadores temporários ao longo dos próximos meses.

O CEO da Tesla, Elon Musk , declarou em uma entrevista recente que as novas fábricas da Tesla no Texas e Berlim, na Alemanha, estavam perdendo “bilhões de dólares”, em parte devido a interrupções na cadeia de suprimentos que estavam prejudicando a capacidade da empresa de aumentar a produção em ambas as instalações.

“As fábricas de Berlim e Austin são gigantescos fornos que queimam dinheiro nesse momento”, disse o CEO da Tesla na entrevista.