Surpresa no céu: viagem corporativa reage e reforça resultado da Gol

Companhia ampliou a oferta em Congonhas em 30% no fim de março para atender à retomada da demanda de voos de negócios
Gol reforça oferta em aeroportos importantes para viagens de negócios de olho na retomada da demanda corporativa (Bloomberg/Dado Galdieri/Bloomberg)
Gol reforça oferta em aeroportos importantes para viagens de negócios de olho na retomada da demanda corporativa (Bloomberg/Dado Galdieri/Bloomberg)
Por Da RedaçãoPublicado em 28/04/2022 21:23 | Última atualização em 28/04/2022 21:29Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Na tese da reabertura da economia, havia uma quase certeza entre analistas e executivos do setor aéreo e de turismo: as viagens corporativas demorariam a se aproximar dos patamares pré-pandemia. Afinal, para as empresas, por que gastar milhares de reais -- ou milhões em muitos casos -- para enviar executivos para reuniões que podem acontecer de forma virtual com a mesma eficácia, mas com menos desgaste para o profissional e menor gasto para a companhia?

Os dados do primeiro trimestre de 2022 da Gol Linhas Aéreas (GOLL4) mostraram que essa profecia pode não se concretizar. A retomada da demanda no segmento de negócios foi um dos destaques do balanço, com avanço de 63% em março na comparação com o mesmo mês de 2019, o período de comparação livre dos efeitos da pandemia.

Essa retomada das viagens corporativas, por sua vez, alavancou em mais de 60% a comercialização de passagens na mesma comparação, segundo os números divulgados nesta quinta-feira, dia 28 de abril.

"Clientes corporativos retornando aos céus e demanda por viagens de lazer graças ao enfraquecimento de casos de Covid levaram as vendas brutas para R$ 4,2 bilhões [no primeiro trimestre], 22% mais alto do que os níveis pré-pandemia [primeiro trimestre de 2019], destacaram os analistas Thomaz Tenyi, CFA, Renan Tiburcio, CFA, e José Maria Silva, da equipe de Fixed Income Research do BTG Pactual, em relatório sobre o resultado.

Conheça as ações mais promissoras da tese da reabertura da economia com as análises do BTG Pactual

Essa retomada foi igualmente destacada pela Gol nos comentários sobre o trimestre. "A companhia cresceu sua capacidade em 14,7% relativamente ao quarto trimestre de 2021, com a retomada mais robusta nos principais aeroportos brasileiros, como o de Congonhas, significativo polo de passageiros corporativos, que são essenciais para o fortalecimento de rentabilidade."

"A partir de 27 de março, começaram a vigorar mudanças importantes na malha da Gol, desenhada para possibilitar a retomada vigorosa do segmento corporativo. A companhia incrementou a oferta em cerca de 30% no aeroporto de Congonhas e em 100% no de Curitiba", apontou a Gol.

As ações da Gol encerraram o pregão como um dos destaques do Ibovespa, com alta de 3,61%, negociadas a R$ 15,22.