Reunião do Copom atrai atenção dos investidores na próxima semana

Reajuste da Selic deve ficar em 0,75 ponto percentual
Reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) nas próxima terça-feira (20) e quarta-feira (21) atrai os olhares dos investidores (.)
Reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) nas próxima terça-feira (20) e quarta-feira (21) atrai os olhares dos investidores (.)
M
Mirela PortugalPublicado em 16/07/2010 às 18:14.

São Paulo - A quinta reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) em 2010 e o aparente consenso em torno do ritmo de alta da taxa Selic são os destaques para os mercados na próxima semana, de 19 a 23 de junho. O Copom se reúne nas próxima terça-feira (20) e quarta-feira (21), e deve trazer, mais uma vez, aumento de 0,75 ponto percentual para a Selic, como aconteceu nas duas últimas reuniões. "Caso haja alguma variação, é mais provável que seja no final do segundo semestre, quando houver uma figura mais clara da inflação para o ano", explica Osmar Camilo, analista da corretora Socopa.

Outro destaque na agenda nacional é a taxa de desemprego para o mês de junho, cuja divulgação está prevista para 9 horas da quinta-feira (22). "Nossa expectativa é de manutenção em 7,5%, a mesma do mês passado, em face do equilíbrio apresentado pelo setor", diz Camilo.

A agenda nacional tem ainda IPC-Fipe da primeira quinzena de julho na segunda-feira (19), às 5 horas; a balança comercial semanal também na segunda-feira, às 11 horas; o IGP-M do segundo decêndio na terça-feira às 8 horas; o IPCA-15 também na terça-feira, às 9 horas; confiança do consumidor na quinta-feira(22), dia 22, às 9 horas e IPC-S na sexta-feira (23) às 8 horas.

Estados Unidos

Com cronograma de indicadores mais esvaziado que o usual, o destaque para os dados nos Estados Unidos vai para  o setor imobiliário em junho, cuja reação ao fim dos incentivos governamentais é acompanhada de perto pelos mercados. "A expectativa é de diminuição tanto da permissão para construção quanto das casas iniciadas, os dois na segunda-feira (20)", aponta Guilherme Meira, economista da corretora Renascença. Segundo o site Briefing.com, o consenso é de 575 mil  aprovações para construção, praticamente alinhada com o resultado anterior, de 574 mil. Já os housing starts demonstrariam leve queda, de 593 mil em maio para 570 mil em junho.

A semana nos Estados Unidos terá ainda os pedidos iniciais de auxílio desemprego (inicial claims) e o os pedidos continuados de auxílio desemprego (continuing claims) às 8h30 da terça-feira (22), e o leading indicators de junho, com uma relação das principais variáveis econômicas do país, às 10 horas da terça-feira (22).