Acompanhe:

Raízen (RAIZ4) compra startup Payly por R$ 78 milhões e cria unidade de serviços financeiros

Companhia diz que potencial de volume bruto de transações pode ser de mais de R$ 200 bilhões

Raízen: Aquisição da Payly cria unidade de serviços financeiros (Tulio Vidal/Divulgação)

Raízen: Aquisição da Payly cria unidade de serviços financeiros (Tulio Vidal/Divulgação)

R
Raquel Brandão

17 de outubro de 2022, 10h30

A empresa de energia Raízen (RAIZ4) e operadora das redes de postos Shell resolveu criar uma unidade de serviços financeiros. Para isso, anunciou nesta segunda-feira, 17, a compra da startup de meios de pagamentos Payly, que foi criada em 2018 por sua controladora, a Cosan, com o banco Topázio. A Raízen irá pagar à Cosan R$ 78 milhões, livre de qualquer endividamento. A operação depende de aprovação do Cade.

Segundo a empresa, a aquisição da Payly representa o primeiro passo no desenvolvimento da unidade de serviços financeiros. Isso porque a startup já provê tecnologia em serviços financeiros, sendo parte relevante na cadeia de valor do Shell Box, possui um time "com sólida competência em soluções de tecnologia digital e sua aplicação em produtos
financeiros" e já opera regularmente como instituição de pagamento, de acordo com a regulamentação
do Banco Central.

LEIA MAIS:

A nova unidade de negócios, segundo a Raízen, vai proporcionar conveniência e fidelidade ao cliente final e parceiros,  inteligência de dados proprietários e "fomento mercantil e captação de recursos de terceiros, potencializando valor na cadeia de negócios".

Atualmente o ecossistema da Raízen tem um potencial de volume (GMV, sigla em inglês para valor bruto de vendas) de mais de R$200 bilhões considerando o faturamento total da companhia, que atende mais de 8 mil postos revendedores, 5 mil clientes B2B, 50 milhões de clientes finais, 17 mil clientes no segmento de energia elétrica, 1,5 mil estabelecimentos de proximidade e conveniência, fornecedores e parceiros de negócios no setor sucroalcooleiro.