Acompanhe:

Qualicorp desaba 13% após lucro cair pela metade no 3 trimestre

De julho a setembro, a companhia teve lucro líquido de R$ 49,2 milhões no terceiro trimestre de 2022, queda de 55,4%

Qualicorp: com reajuste de preços, taxa de cancelamento de beneficiários ficou acima do esperado (Andrei Vasilev/Getty Images)

Qualicorp: com reajuste de preços, taxa de cancelamento de beneficiários ficou acima do esperado (Andrei Vasilev/Getty Images)

K
Karla Mamona

Publicado em 9 de novembro de 2022, 12h56.

As ações da Qualicorp (QUAL3) operavam em queda de 12,78% na tarde desta quarta-feira, 9. Os papéis eram negociados a R$ 7,07. O mercado repercute os dados divulgados referentes ao terceiro trimestre deste ano. De julho a setembro, a companhia teve lucro líquido de R$ 49,2 milhões no terceiro trimestre de 2022, queda de 55,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Ebitda (lucro antes de juros e impostos) ajustado foi de R$ 234,7 milhões no trimestre, queda de 12,7% na comparação com igual intervalo de 2021. A margem Ebitda ajustada foi de 46,3%, queda de 399 pontos base. A receita líquida da Qualicorp caiu 5,2% no comparativo anual, chegando a R$ 507,1 milhões.

Em relatório divulgado, os analistas do Itaú BBA destacaram que o desempenho da Qualicorp no trimestre se deve as altas taxas de cancelamento (churn) devido aos reajustes feitos pelas operadoras de saúde no período. A estimativa do Itaú era que o número de perdas de beneficiários ficassem em 46 mil. Entretanto, foram reportado uma perda de 75 mil beneficiários.

Os analistas disseram ainda que a Qualicorp reportou redução em algumas linhas de despesas, incluindo pessoal e marketing, mas a retração de 5% na receita anual e o aumento de 61% nas provisões para devedores duvidosos foram mais do que suficientes para compensar isso.

“As despesas financeiras líquidas mais altas tiveram um impacto significativo no lucro líquido da empresa, que encolheram 55% em um ano, para R$ 49 milhões”. Disseram ainda a queima de caixa no trimestre foi impulsionada principalmente pelo pagamento de dívidas.