Fizemos uma proposta com disciplina de capital, diz CEO da EcoRodovias (ECOR3)

Para Marcello Guidotti, o lote conquistado nesta quinta-feira é maduro, tem um histórico de tráfego consolidado e investimentos muito simples em termos de engenharia
Marcello Guidotti, CEO da EcoRodovias (ECOR3) (ECORODOVIAS/Exame)
Marcello Guidotti, CEO da EcoRodovias (ECOR3) (ECORODOVIAS/Exame)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 15/09/2022 às 19:26.

Última atualização em 15/09/2022 às 19:55.

O CEO da EcoRodovias (ECOR3), Marcello Guidotti, comemorou a vitória do Lote Noroeste Paulista, conquistado pela empresa nesta quinta-feira, 15.

"Nossa equipe estudou profundamente o edital e identificou a alta relevância desse ativo para o grupo. Fizemos uma proposta com disciplina de capital e com responsabilidade, tanto em relação ao compromisso assumido com o governo paulista quanto às expectativas dos acionistas. Estamos muito felizes com a conquista que, em breve, elevará nosso portfólio para 4,7 mil quilômetros de rodovias e nos consolidará como a maior operadora de rodovias do país em extensão de malha rodoviária", declarou Guidotti em entrevista à EXAME.

Para o executivo, o lote é maduro, tem um histórico de tráfego consolidado e investimentos muito simples em termos de engenharia.

O trecho, localizado no estado de São Paulo, totaliza 601 quilômetros de extensão, e foi conquistado após uma proposta de R$ 1,24 bilhão de outorga inicial.

A EcoRodovias ganhou das concorrentes CCR (CCRO3) e Pátria, que tinham apresentado ofertas menores, respectivamente, de R$ 753,8 milhões e R$ 321,3 milhões.

Os investimentos previstos no contrato chegam a R$ 10 bilhões ao longo de 30 anos.

Veja também

O Lote Noroeste é composto de cinco trechos de rodovias no interior de São Paulo nas regiões de São José do Rio Preto, Araraquara, São Carlos e Barretos, incluindo a SP 310 (Rod. Washington Luís) que, segundo a empresa, é importante corredor logístico para o transporte de produtos agropecuários e fertilizantes. "Adicionalmente, os demais trechos caracterizam-se pelo transporte de combustíveis, máquinas e equipamentos e materiais de construção", informou a EcoRodovias em fato relevante.

A companhia reforça ainda que a aquisição reforça o comprometimento da EcoRodovias com o "retorno sustentável e a disciplina financeira". "A conquista desse ativo é consistente com a estratégia da EcoRodovias de focar em ativos de concessões rodoviárias e gerar valor aos acionistas", diz o documento.

EcoRodovias (ECOR3) está assumindo projetos que "agregam valor"

O CEO da EcoRodovias salientou que a empresa está "confiante" nos projetos que estão sendo assumidos, pois esses "agregam valor".

Nos últimos quatro anos a EcoRodovias obteve três novas concessões rodoviárias, a última das quais o leilão federal do corredor Rio-Valadares.