Positivo Tecnologia supera receita de 2020 em apenas nove meses de 2021

Empresa teve aumento na venda de computadores em todas as frentes de negócios
 (Exame/Guilherme Pupo)
(Exame/Guilherme Pupo)
Por Lucas AgrelaPublicado em 10/11/2021 19:45 | Última atualização em 10/11/2021 19:46Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A receita total da Positivo Tecnologia superou, em apenas nove meses, o total da receita no ano de 2020. O valor registrado de janeiro a setembro deste ano foi de 2,7 bilhões de reais, 5% a mais do que nos 12 meses do ano passado. No terceiro trimestre deste ano, a empresa curitibana registrou 979 milhões de reais de receita, uma alta de 63% na comparação com o mesmo período no ano anterior. 

O lucro líquido da Positivo Tecnologia também subiu e chegou a 54 milhões de reais entre os meses de julho a setembro, 7% a mais na comparação anual. O acumulado no ano é de 161 milhões de reais. O valor é mais de três vezes acima dos primeiros nove meses de 2020. 

Um dos principais motivos para o crescimento da empresa é a venda de computadores, que segue em alta. O crescimento de vendas, na comparação anual, foi de 58%. 

Na divisão de vendas para consumidores, a receita do trimestre foi de 489 milhões de reais, totalizando 1,53 bilhão de reais de janeiro a setembro de 2021. De acordo com estimativa da Positivo Tecnologia, embasada em dados de mercado da consultoria IDC, o setor de computadores e notebooks deve terminar 2021 com 8,5 milhões de unidades vendidas - apesar dos desafios de falta de componentes em razão da crise global de semicondutores.  

Em entrevista para a EXAME, Hélio Rotenberg, presidente da Positivo Tecnologia, conta que frentes de crescimento importantes, além do varejo, são as vendas para o setor público  e os aluguéis de máquinas para o segmento corporativo. A divisão de instituições públicas da empresa gerou 336 milhões no trimestre (761 milhões de reais no ano), enquanto a divisão de Hardware as a Service cresceu 120% em relação ao mesmo período em 2020. Vale notar que, no ano passado, a empresa venceu uma licitação para fabricação de unidades da urna eletrônica usada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e que, novamente, participa do processo de licitação dos aparelhos para as eleições de 2024.

“O crescimento do continuador pessoal foi importante no trimestre. Nós usamos mais o computador para reuniões hoje em dia, mesmo quando estamos no escritório. A tecnologia permeia a sociedade, da máquina de pagamento ao tablet. E o computador continua sendo essencial”, afirma Rotenberg. “Além do desejo e da necessidade de produtos mais novos, há uma sobra de verba nos municípios que veio da economia com o ensino on-line ao longo do ano. Há uma verba que precisa ser gasta para cumprir os 25% do orçamento. Por isso, muitas instituições públicas compram notebooks e tablets.”

A expectativa da companhia para o quatro trimestre é de mais um período de positivo. A empresa prevê receita bruta para o quarto trimestre entre 1,2 bilhão e 1,4 bilhão de reais.