Por que a Localiza vai pagar R$ 350 mi aos acionistas e pedir R$ 150 mi de volta?

Locadora anuncia, em um só comunicado, pagamento de juros sobre capital e emissão de novas ações
Localiza: aumento do patrimônio devido à fusão com Unidas ampliar montante do juros sobre capital (Pedro Vilela / Agencia i7/Divulgação)
Localiza: aumento do patrimônio devido à fusão com Unidas ampliar montante do juros sobre capital (Pedro Vilela / Agencia i7/Divulgação)
R
Raquel Brandão

Publicado em 26/09/2022 às 20:32.

Última atualização em 27/09/2022 às 10:25.

A Localiza (RENT3), maior locadora de veículos das Américas, informou hoje, dia 26, que vai distribuir R$ 346,2 milhões em juros sobre capital próprio (JCP), ou R$ 0,35 por ação, para quem tem papéis da empresa até 28 de setembro.  As ordinárias passam a ser negociados “ex” JCP a partir de 29 de setembro e o pagamento acontece em 9 de novembro.

No mesmo comunicado, a  empresa também anunciou que o conselho de administração aprovou um aumento de capital privado que pode variar de R$ 33 milhões a R$ 150,7 milhões. Nesta terça-feira, dia 27, a companhia atualizou os valores. Serão emitidas de 655 mil a 2,99 milhões de ações, ao preço de R$ 50,35 por papel. A companhia terminou o dia ontem valendo R$ 60,4 bilhões na B3.

Esse valor, representa um desconto de 18,64% sobre o  fechamento desta segunda-feira. A ação terminou o pregão negociada a R$ 61,95, com queda de 4,10%. O  preço de emissão foi estabelecido com preço médio ponderado por volume de 11 de agosto a 22 de setembro, para o qual foi aplicado deságio de 20%. O objetivo é “estimular a adesão dos acionistas”, diz o documento apresentado pela empresa.

Como explica a própria Localiza, “o aumento de capital tem por razões a preservação da estrutura de capital e da posição de caixa da companhia, tendo em vista a concomitante distribuição de juros sobre o capital próprio aos acionistas.” Ou seja, o anúncio feito ao mesmo tempo é uma estratégia de caixa e remuneração dos acionistas.

É uma matemática que parece maluca: a Localiza paga R$ 346 milhões, os acionistas podem receber quase R$ 200 milhões, ao fim de tudo, e o gasto líquido efetivo da empresa pode ser inferior a R$ 80 milhões. Esses números pressupõe, claro, a adesão integral ao aumento de capital. Mas como isso é possível?

Com a incorporação da Unidas, concluída em julho, o patrimônio líquido da companhia aumentou. O juros sobre capital próprio é calculado pela aplicação da TJLP sobre o patrimônio — por isso tem o nome que tem. Esse pagamento é contabilmente tratado como uma despesa financeira.

Pois: se ele reduz o lucro da companhia, diminui junto o imposto a pagar. Portanto, para a companhia há economia da alíquota dos impostos e contribuições social, o que dá ao redor de R$ 117,5 milhões. Então, esse tanto 'volta' para o caixa da Localiza na forma de economia tributária. Além disso, se os acionistas todos integralizarem sua parte na emissão privada, chegam para o caixa da empresa pouco mais de R$ 267 milhões no total. Ou seja, a Localiza está otimizando o JCP a favor dos acionistas e dela própria.

Após julho, a posição de caixa proforma da companhia, já considerando a fusão, estava em R$7,98 bilhões. Nos últimos doze meses, a companhia combinada somou quase R$18 bilhões em receitas líquidas, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$7,3 bilhões e lucro líquido superior a R$3 bilhões. A partir do terceiro trimestre, a companhia passa a reportar informações consolidadas.

Para as empresas, o JCP pode ser uma forma mais vantajosa do que o dividendo na hora de remunerar os acionistas. No caso do dividendo, ele é a distribuição para os acionistas de parte do lucro do negócio, sobre o qual já incide impostos. Por isso, ele é líquido para os acionistas. Já o JCP é como se fosse um rendimento proveniente do patrimônio do negócio. Como ele sai no meio do balanço, ou seja, antes da incidência dos impostos, cabe aos acionistas para uma alíquota de 15% de imposto de renda sobre esse recebimento.

A Localiza tem como prática pagar a seus acionistas 25% de seu lucro. Por isso, a escolha por fazer o aumento de capital e reforçar a estrutura financeira.  Com a capitalização, o saldo líquido dos fluxos fica equivalente a um dividendo dentro dos limites definidos para divisão do lucro entre os sócios. No fim das contas, todos se beneficiam do modelo adotado.

Em 2022, a empresa já pagou R$ 241,9 milhões em JCP e R$ 206,2 milhões em dividendos.
Para Enrico Cozzolino, head de análise e sócio da Levante Investimentos, o anúncio também representa um otimismo da direção da companhia para valorização das ações. “Ou a diretoria está bastante confiante e entendendo que a ação está descontada ou está usando as ações como moeda. De uma forma ou de outra, mostra confiança.”