Invest

Philips (PHGN34) cortará quatro mil empregos em todo o mundo após sofrer derrota judicial

O gigante holandês da eletrônica está enfrentando uma séria crise após ser condenado a pagar US$ 1,3 bilhão em danos

Philips (PHGN34) (Mateusz Slodkowski/Getty Images)

Philips (PHGN34) (Mateusz Slodkowski/Getty Images)

A Philips (PHGN34), gigante holandesa de tecnologia, planeja cortar cerca de quatro mil empregos após sofrer uma derrota judicial.

A empresa registrou um prejuízo de cerca de US$ 1,3 bilhões em grande parte devido a uma baixa contábil provocada por um processo envolvendo um série de cinco milhões de maquinas de respiração produzidas com defeitos.  As máquinas tinham como público-alvo os pacientes que sofrem de apneia do sono.

A controvérsia resultou em um processo com pedidos de danos, além de uma investigação do Departamento de Justiça dos EUA, e forçou a saída do CEO Frans van Houten, que liderou a recente migração da Philips para a área de tecnologia de saúde.

Demissões representam 5% da força de trabalho da Philips (PHGN34)

Segundo a Philips, as demissões representam 5% da força de trabalho, e seriam feitas imediatamente em sua rede global, em uma tentativa de economizar cerca de cerca de US$ 300 milhões por ano. O novo CEO, Roy Jakobs, nomeado este mês, declarou que a decisão sobre os cortes de empregos não foi tomada “levianamente”.

“Essas ações iniciais são necessárias para começar a transformar a empresa e realizar o potencial de crescimento lucrativo da Philips", declarou Jakobs, que salientou como a empresa está tomando medidas para “melhorar a segurança do paciente e o gerenciamento da qualidade”, além de melhorar suas operações da cadeia de suprimentos, onde está enfrentando complexos desafios.

A Philips informou que espera “desafios operacionais e de fornecimento prolongados”, apontando o contexto de deterioração da economia global e a incerteza contínua em torno das medidas de contenção Covid-19 na China, onde foram impostos duros e prolongados lockdowns que forçaram suas fábricas a fechar este ano.

A Philips já cortou duas vezes seu guidance de vendas para 2022, e agora espera um declínio de um dígito nas receitas durante o quarto trimestre.

As ações da Philips estão em forte queda na Bolsa de Valores de Amsterdã nesta segunda-feira. Desde o começo do ano, os papéis já perderam cerca de 68% de seu valor de mercado.

Acompanhe tudo sobre:DemissõesPhilips

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena concurso 2751: prêmio acumulado é de R$ 51,9 milhões

Realização de lucros? Buffett vende R$ 8 bilhões em ações do Bank of America

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 53 milhões

O que é private equity e como funciona?

Mais na Exame