Invest

Petrobras (PETR4), Gol (GOLL4), Tim (TIMS3): o que movimenta as empresas na bolsa hoje

Confira quais são os principais destaques das companhias listadas na bolsa de valores brasileira hoje

A Petrobras (PETR4) vai divulgar nesta quinta-feira o seu balanço do 4T23 (SOPA Images/Getty Images)

A Petrobras (PETR4) vai divulgar nesta quinta-feira o seu balanço do 4T23 (SOPA Images/Getty Images)

Janize Colaço
Janize Colaço

Repórter de Invest

Publicado em 7 de março de 2024 às 12h35.

Junto aos reflexos internacionais no nosso mercado, o Ibovespa desta quinta-feira, 7, promete ser agitado pelas empresas listadas. Para saber o que está acontecendo no radar corporativo, confira a seguir quais são os principais destaques das companhias hoje.

Tim (TIMS3)

A Tim publicou uma atualização das suas projeções para o triênio de 2024-2026, na qual diz que vai continuar desenvolvendo e executando uma estratégia “com adequações ao ambiente macroeconômico e de negócios do Brasil”. Apostando no seu principal segmento, que é o de telefonia móvel, a companhia projeta um crescimento sustentável e que pode garantir uma remuneração aos seus acionistas de aproximadamente R$ 12 bilhões, seguindo a proposta divulgada anteriormente.

Gol (GOLL4)

Por meio de fato relevante, a aérea anunciou que, em relação ao processo de recuperação judicial em curso, “de maneira oportuna”, avaliará alternativas de capitalização e/ou transações alternativas disponíveis, bem como “examinará oportunidades apresentadas por potenciais fontes de capital”. No entanto, a Gol afirma que não há negociações em curso no momento.

Porto Seguro (PSSA3)

A Porto Seguro comunicou aos seus acionistas que o acordo celebrado com a Mitsui Sumitomo Seguros será implementado gradativamente a partir da próxima terça-feira, 12. A parceria vai permitir que a companhia possa operar produtos de varejo nos segmentos de automóvel e residencial.

Enel (ELPL3)

A Secretaria Nacional do Consumidor, vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, instaurou um processo administrativo contra a Enel, pelo apagão causado no estado de São Paulo, em novembro do ano passado. A medida consta da edição do Diário Oficial da União da última quarta-feira, 6. Como prevê a lei, a companhia deve ser formalmente notificada. O prazo para apresentar sua defesa e, eventualmente, provas a seu favor é de 20 dias.

Guararapes (GUAR3)

A Guararapes reportou lucro líquido de R$ 229,7 milhões no quarto trimestre, alta de 124,7% em relação ao registrado no mesmo período de 2022. No consolidado, a companhia encerrou 2023 com prejuízo de R$ 34,2 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 51,9 milhões no ano anterior.

CSN (CSNA3)

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registrou lucro líquido de R$ 851 milhões no quarto trimestre de 2023, uma alta de 332% ante o mesmo período de 2022 e de 835% maior em relação ao 3T23. O Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 3,626 bilhões, avanço de 16% na comparação anual e alta de 29% ante o terceiro trimestre de 2023.

CSN Mineração (CMIN3)

Já o braço de mineração da CSN, a CMIN reportou um lucro líquido de R$ 1,35 bilhão no período, o que representa uma alta de 55,9% em relação ao quarto trimestre de 2022. Já o Ebitda ajustado da companhia ficou em R$ 2,75 bilhões, um avanço de 55% na comparação com um ano antes e de 39% frente ao terceiro trimestre de 2023.

Balanços do 4T23

Esta quinta-feira ainda contará com os balanços da Arezzo (ARZZ3), Petz (PETZ3), Zamp (ZAMP3, do Burguer King) e Track & Field (TFCO4). No entanto, são os resultados do 4T23 - e anúncio de dividendos - da Petrobras (PETR4) que são mais aguardados pelos investidores.

Confira as últimas notícias de Invest:

Acompanhe tudo sobre:IbovespaAçõesEmpresas abertas

Mais de Invest

Bolsa brasileira comunica que não foi afetada por apagão global de tecnologia

Ibovespa tem leve alta após governo anunciar R$ 15 bi de corte de gastos; dólar cai

Bancos brasileiros apresentam problemas técnicos após 'apagão cibernético' desta sexta-feira

Netflix supera expectativa e registra 277 milhões de assinaturas pelo mundo

Mais na Exame