Acompanhe:

Petrobras não é mais a empresa de maior valor de mercado na bolsa

Estatal foi superada pela Vale, cujo papel valorizou mais de 23% ao longo do mês de novembro

Petrobras: ações ordinárias e preferenciais desvalorizaram ao longo do último mês (Nur Photo/Getty Images)

Petrobras: ações ordinárias e preferenciais desvalorizaram ao longo do último mês (Nur Photo/Getty Images)

R
Raquel Brandão

Publicado em 1 de dezembro de 2022, 11h52.

Última atualização em 1 de dezembro de 2022, 12h16.

Mesmo com valorização de 7,5% para as ações ordinárias e de 8,5% para as preferenciais na última semana, a Petrobras (PETR3/ PETR4) já não é mais a empresa de maior valor de mercado na B3. A estatal de combustíveis foi ultrapassada pela mineradora Vale ( VALE3).

A Petrobras atingiu o maior valor de mercado de sua história no dia 21 de outubro deste ano com R$ 525 bilhões, mostra levantamento da plataforma TradeMap. Desde então, a estatal desvalorizou e, em 22 de novembro, chegou a R$ 332 bilhões. Se observados os números do último mês, o papel desvalorizou 9,89% no caso das ações ordinárias e 11,69% no caso das preferenciais.

Ibovespa em 2023: o que esperar da primeira prévia da nova carteira do índice

Considerando o fechamento de mercado do pregão de quarta-feira, 30 de novembro, a empresa tem R$ 376 bilhões de valor de mercado e é a segunda maior empresa da bolsa. A Vale está com R$ 389 bilhões.

Na primeira 1 hora e meia do pregão desta quinta-feira, 1º de dezembro, a distância entre as duas está crescendo. Enquanto o mercado digere o novo plano de investimentos da companhia, a PETR3 recua 1,15% e a PETR4, 1,50%. Enquanto isso, o papel da mineradora cai apenas 0,57%.

Desde o maior valor em outubro de 2022 até o dia 30 de novembro, a Petrobras perdeu R$ 145 bilhões e entre o pico e o ponto mais baixo, em 22 de novembro, a queda é de R$ 189 bilhões, segundo a TradeMap.

Já a Vale atingiu o menor valor de mercado em 2 de setembro com R$ 289 bilhões e, dessa data até 30 de novembro, valorizou R$ 100 bilhões. A mineradora acumula alta de 23,62% do valor de sua ação se observado apenas o último mês.