Petrobras e Vale disparam e impulsionam alta do Ibovespa

Índice tem primeiro pregão de ganhos após quatro quedas consecutivas após alta de commodities
 (Getty Images/Patricia Monteiro/Bloomberg via)
(Getty Images/Patricia Monteiro/Bloomberg via)
Por Beatriz Quesada, Guilherme GuilhermePublicado em 11/05/2022 17:49 | Última atualização em 11/05/2022 17:52Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Ibovespa hoje: o principal índice da bolsa brasileira subiu 1,25%, aos 104.296 pontos nesta quarta-feira, 11, puxado por ações de empresas de commodities, beneficiadas pela alta de preços no exterior. Foi o primeiro fechamento positivo do Ibovespa após quatro pregões de perdas. O movimento contrariou a cautela de investidores internacionais, que repercutiram dados acima do esperado da inflação americana.

O Índice de Preço ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, um dos principais indicadores de inflação no país, caiu de 8,5% para 8,3% no acumulado de 12 meses. O número, porém, superou o consenso de mercado, que era de queda para 8,1%. Os principais índices de Wall Street reagiram negativamente e fecharam o pregão em queda.

  • S&P 500 (EUA): - 1,65%
  • Nasdaq (EUA): - 3,18%

    Os reflexos foram sentidos também no dólar comercial, que avançou contra o real acompanhando o sentimento de aversão a risco no exterior. A sessão foi novamente marcada por volatilidade, com a moeda passando R$ 5,09 na mínima para R$ 5,17 na máxima. O dólar encerrou o dia cotado a R$ 5,144, alta de 0,20%.

    Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês

    Números de inflação também seguiram no radar de economistas brasileiros. O IPCA de abril, divulgado nesta manhã, acelerou de 11,30% para 12,13% na comparação anual, ficando acima das projeções de mercado, que eram de 12,07% de alta.

    A alta da inflação no Brasil e nos Estados Unidos pressionaram as curvas de juros em ambos os países, com investidores apostando em apertos monetários mais duros.

    "Os números [dos EUA] reforçam as apostas de parte do mercado que espera um aumento de 75 pontos base na próxima reunião do Federal Reserve [Fed, banco central americano]", disse Gustavo Cruz, estrategista-chefe da RB Investimentos.

    Destaques de ações

    Juros mais altos tiram a atratividade da renda variável e prejudicam as ações. No Brasil, no entanto, as ações de commodities ignoraram o clima negativo no exterior e ajudaram a sustentar a alta do Ibovespa.

    A Vale (VALE3), ação com a maior participação na carteira teórica do índice, disparou mais de 4%, após forte recuperação do minério de ferro na China.

    Declarações de autoridades chinesas de que metade de Xangai estaria livre da Covid aumentaram o otimismo sobre a demanda do gigante asiático. A commodity saltou 5%, depois de ter desabado nos dois primeiros pregões da semana, marcados por temores de novos lockdowns no país asiático.

    • Vale (VALE3): + 4,17%

    Já a Petrobras (PETR3/PETR4) saltou mais de 5% e liderou os ganhos do dia na esteira da recuperação do petróleo. A commodity volta a superar a marca de US$ 105 por barril, à medida que as esperanças sobre a demanda são renovadas com notícias positivas vindas da China. 

    No radar, ainda estão a queda do fornecimento de gás russo para a Europa e a possibilidade de embargo da União Europeia sobre o petróleo do país. Petrolíferas privadas chegam a saltar mais de 6% na B3.

    Vale lembrar que os ganhos ocorreram a despeito da troca de comando do Ministério de Minas e Energia, após críticas do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste do preço do diesel. Adolfo Sashcida assumirá o ministério no lugar de Bento Costa Lima Leite.

    "A Petrobras desenvolveu ao longo dos últimos anos aspectos positivos em sua governança, que a blindam de interesses que possam pesar contra a sua situação financeira", avaliou Ilan Arbetman, analista de research da Ativa Investimentos.

    • Petrobras (PETR3): + 3,85%
    • Petrobras (PETR4): + 3,85%
    • PetroRio (PRIO3): + 6,18%
    • 3R (RRRP3): + 4,18%

    A ponta negativa do índice ficou com os papéis da Qualicorp (QUAL3), que recuaram mais de 12% na bolsa nesta quarta-feira, 11, após a divulgação do balanço do primeiro trimestre da companhia ficar aquém das expectativas do mercado.

    Os papéis lideram as perdas do Ibovespa e arrastam para baixo as ações do setor de saúde como um todo. A Rede D’Or (RDOR3), que possui 29% de participação na Qualicorp, ficou entre as maiores quedas do dia. Outras ações do setor, como SulAmerica (SULA11) e Hapvida (HAPV3), também figuraram entre as maiores baixas do pregão.

    • Qualicorp (QUAL3): - 12,80%
    • Hapvida (HAPV3): - 5,97%
    • Rede D’Or (RDOR3): - 5,38%
    • SulAmerica (SULA11): - 4,36%