Invest

No radar: Carrefour compra BIG, pandemia cresce e o que move os mercados

Mercados internacionais tem dia de quedas conforme as variantes do coronavírus continuam a se espalhar; aquisição do BIG pode gerar negócio de R$ 100 bilhões

Carrefour estima que a aquisição do BIG deve gerar uma contribuição adicional líquida ao ebitda de 1,7 bilhão de reais anualmente (Regis Duvignau/File Photo/Reuters)

Carrefour estima que a aquisição do BIG deve gerar uma contribuição adicional líquida ao ebitda de 1,7 bilhão de reais anualmente (Regis Duvignau/File Photo/Reuters)

BQ

Beatriz Quesada

Publicado em 24 de março de 2021 às 07h04.

Última atualização em 24 de março de 2021 às 08h13.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

As bolsas globais operam em queda nesta quarta-feira, 24, preocupadas com a possibilidade de recuperação das economias diante do crescimento da pandemia ao redor de todo o mundo. Os mercados da Europa caem após a extensão de lockdowns na França e na Alemanha, enquanto as bolsas asiáticas fecharam em terreno negativo, também repercutindo o avanço da crise. 

Nos Estados Unidos, os índices futuros operam em leve alta, com os investidores preocupados com o vírus mas também no aguardo dos resultados da produção industrial e da segunda parte do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, e da secretária do Tesouro, Janet Yellen.

Na véspera, os dois reforçaram a continuidade do programa de estímulos, uma vez que a recuperação da economia do país ainda tem um longo caminho a percorrer. Os comentários contribuíram para a queda dos rendimentos dos títulos do governo dos Estados Unidos (treasuries) com vencimento em 10 anos, que continuam em baixa nesta quarta-feira.  

Veja abaixo os principais fatos desta quarta-feira:

Carrefour compra Big

O Carrefour Brasil anunciou, na manhã desta quarta-feira, que entrou em um acordo com a Advent International e o Walmart para a aquisição do Grupo BIG (antigo Walmart Brasil) por 7,5 bilhões de reais. A combinação criará um grupo com vendas brutas de cerca de 100 bilhões de reais.

O Carrefour estima que a aquisição deve gerar uma contribuição adicional líquida ao EBITDA de 1,7 bilhão de reais anualmente, três anos após a conclusão da operação. O pagamento da transação será realizado 70% em dinheiro e 30% por meio de emissão de novas ações do Carrefour (CRFB3). O Grupo BIG, controlado pelo fundo de investimentos Advent, é dono de marcas como BIG, Super Bompreço, Maxxi Atacado, Walmart e Sam's Club no Brasil.

A transação ainda deve passar pela aprovação dos acionistas do Carrefour e do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), como órgão regulador. A conclusão da aquisição está prevista para 2022.

Pandemia avança

A maioria das regiões do globo está enfrentando um aumento de novos casos de Covid-19, à medida que variantes do vírus continuam a se espalhar. Segundo alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado na segunda-feira, 22, os novos casos em todo o mundo aumentaram 8% na última semana, 5º aumento consecutivo.

No Brasil, as mortes diárias por Covid-19 superam 3 mil pela primeira vez desde o início da crise. O país registrou recorde diário de 3.251 mortes e 82.493 novos casos confirmados nesta terça-feira, segundo dados do Ministério da Saúde.

PMI

Nos Estados Unidos, investidores estão atentos hoje à divulgação do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) para março. O resultado sai às 10h45. O avanço foi de 58,6 em fevereiro, e a expectativa para este mês é que o indicador de produção suba para 59,5 -- lembrando que números acima de 50 pontos sinalizam expansão da atividade. As expectativas continuam altas para amanhã, quando será divulgado o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. 

Balanços

Após o fechamento do mercado, as companhias JBS (JBSS3), Equatorial Energia (EQTL3) e Instituto Hermes Pardini (PARD3) divulgam seus resultados do 4º trimestre de 2020. No caso da JBS -- maior processadora de carne do mundo -- a expectativa é de bons números no consolidado anual, sobretudo graças ao bom desempenho do setor e à alta histórica no preço do boi.

yt thumbnail
Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresCarrefourCoronavírusGrupo BIGPandemia

Mais de Invest

Programa Apoio Financeiro: Caixa paga parcela de R$ 1.412 a trabalhadores do RS

Receita libera consulta ao 3º lote de restituição do IR 2024 nesta semana

Ibovespa opera em alta de olho em relatório bimestral de despesas; dólar cai a R$ 5,554

Ações da Ryanair caem quase 15% após lucro da empresa desabar

Mais na Exame