Negócios de private equity e capital de risco recuam 56% em junho

Startups e negócios em desenvolvimento perdem oportunidades de financiamento com queda de otimismo no setor
Setor de saúde foi um dos setores mais atingidos, com as transações caindo 79% no mês passado (Getty Images/Getty Images)
Setor de saúde foi um dos setores mais atingidos, com as transações caindo 79% no mês passado (Getty Images/Getty Images)
B
Bloomberg

Publicado em 13/07/2022 às 11:34.

Última atualização em 13/07/2022 às 16:28.

As transações de private equity e venture capital globais despencaram no mês passado.

O valor dos negócios caiu 56% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado, enquanto o número de transações anunciadas caiu 33%, de acordo com um relatório da S&P Global Market Intelligence publicado na terça-feira, 12.

Os investidores estão recuando depois de despejar bilhões de dólares em fundos de aquisições e startups nos últimos anos. A reversão está sendo impulsionada por uma derrocada do mercado que encolheu os cofres dos fundos, tornando-os mais relutantes em alocar dinheiro em ativos difíceis de vender e avaliar.

Fundos de gigantes como o Tiger Global viram seus retornos diminuir ao reduzirem alguns investimentos de capital de risco. O sistema de aposentadoria dos funcionários públicos da Califórnia, o maior fundo de pensão dos EUA, no início deste mês se afastou de uma série de participações em private equity.

Não perca as últimas tendências do mercado: assine a EXAME por menos de R$ 0,37 e receba notícias em primeira mão

O relatório da S&P mostra que tecnologia, mídia e telecomunicações responderam por US$ 28 bilhões dos negócios de private equity e capital de risco em junho, um declínio acentuado em relação aos US$ 48 bilhões em junho de 2021. O setor de saúde foi um dos setores mais atingidos, com as transações caindo 79% no mês passado.

Marco De Benedetti, codiretor da unidade de private equity europeia do Carlyle Group disse no mês passado que os dias mais otimistas do setor estão diminuindo.

“Estamos vendo uma desaceleração definitiva agora”, disse ele em entrevista à Bloomberg TV. “Acho que o pico está atrás de nós.”

Veja também