Moto elétrica por assinatura: Multilaser fecha parceria e passa a oferecer serviço

Modelo oferecido tem autonomia de 150 quilômetros e desempenho semelhante ao de motos de 125 cc, segundo fabricante
Loja da Multilaser (Multilaser/Divulgação)
Loja da Multilaser (Multilaser/Divulgação)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 10/06/2022 às 09:45.

Última atualização em 10/06/2022 às 09:51.

A Multilaser (MLAS3) anunciou nesta sexta-feira, 10, que passará a oferecer motos elétricas por assinatura a partir de R$ 699 por mês.

O serviços é fruto de uma parceria entre a subsidiária Watts, fabricante de veículos elétricos, e a startup E-moving, na qual a Multilaser possui participação. A startup já atua com serviços de assinaturas de bicicletas elétricas.

A moto oferecida pela Multilaser será a W125. O modelo fabricado pela Watts possui autonomia de 150 quilômetros e desempenho semelhante ao de motos à combustão de 125 cilindradas, segundo a Multilaser.

Moto W125: modelo que será oferecido em serviço por assinatura (Instagram/Reprodução)

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

"A parceria chega em um momento de expansão do mercado de mobilidade elétrica no país. Impulsionada pelo aumento do preço do combustível e, também, pelo desejo do brasileiro de reduzir os impactos ambientais, acreditamos que a utilização de veículos elétricos só tende a crescer”, afirmou Rodrigo Gomes, fundador da Watts, em comunicado ao mercado.

A Multilaser comprou a Watts em março por R$ 10,5 milhões com recursos levantados no IPO da empresa no ano passado.