Acompanhe:

Meta (M1TA34), dona do Facebook, recebe multa violar o regulamento de privacidade da União Europeia

A empresa fundada por Mark Zuckerberg foi punida por um caso de vazamento dos dados de 533 milhões de assinantes da rede social

Meta (M1TA34) (LightRocket/Getty Images)

Meta (M1TA34) (LightRocket/Getty Images)

C
Carlo Cauti

28 de novembro de 2022, 17h34

A Meta (M1TA34), controladora do Facebook, recebeu uma multa de US$ 265 milhões por vazamentos maciços de dados pessoais, violando assim o regulamento de privacidade da União Europeia (GDPR).

A multa foi aplicada pela Comissão de Proteção de Dados da Irlanda (DPC), reguladora da privacidade irlandesa que aplicou as leis europeias, que anunciou a aplicação da sanção após uma investigação iniciada em 2021, quando o vazamento dos dados se tornou de domínio público.

Os dados que vazaram incluíram os nomes e sobrenomes de mais de 533 milhões de assinantes do Facebook, juntamente com seus números de telefone, os lugares que visitaram e sua data de nascimento. A Meta atribuiu a divulgação não autorizada de dados à violação de alguns dos seus sistemas informáticos, possibilitada por uma vulnerabilidade que a empresa corrigiu em 2019.

A empresa fundada por Mark Zuckerberg informou que estava revisando a decisão com cuidado e “proteger a privacidade e a segurança dos dados das pessoas é fundamental para o funcionamento de nossos negócios”, acrescentando como“a coleta não autorizada de dados é inaceitável e contra nossas regras e continuaremos trabalhando com nossos colegas nesse desafio do setor”.

Para a Meta, essa é a terceira multa recebida em 2022 na Europa. Em março passado, a mesma autoridade havia multado a Meta em cerca de 18 milhões de euros por não proteger os dados de cerca de 30 milhões de usuários do Facebook em 2018. Em setembro passado, a autoridade irlandesa também havia multado em mais de 400 milhões de euros por violação da GDPR pelo Instagram, outra rede social controlada pela Meta.

Meta (M1TA34) no olho do furacão

Há anos a Meta está na mira dos reguladores de privacidade em todo o mundo, com a autoridade irlandesa frequentemente assumindo a liderança na Europa, já que a sede europeia da empresa está em Dublin. As multas por violação do GDPR podem chegar até 4% do faturamento global das empresas envolvidas.

A última sanção é mais um golpe para a Meta que no início deste mês demitiu mais de 11 mil funcionários. A reestruturação de seus negócios foi necessária após uma queda nas receitas e uma concorrência acirrada de rivais como o TikTok. Nos primeiros nove meses do ano, o lucro líquido da Meta caiu para US$ 6,69 bilhões, de US$ 10,39 bilhões registrados no ano passado.