• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Por que ações de frigoríficos subiram após caso de vaca louca no país

Analistas avaliam que casos são isolados e não afetam a indústria. Ação da Minerva sobe quase 7%
Ações da JBS, maior empresa de proteína animal do mundo, fecharam em alta de 3,22% nesta segunda | Foto: Chet Strange / Getty Images (Getty Images/Chet Strange / Correspondente)
Ações da JBS, maior empresa de proteína animal do mundo, fecharam em alta de 3,22% nesta segunda | Foto: Chet Strange / Getty Images (Getty Images/Chet Strange / Correspondente)
Por Da redação, com agênciasPublicado em 06/09/2021 14:17 | Última atualização em 07/09/2021 07:14Tempo de Leitura: 3 min de leitura

As ações dos principais frigoríficos fecharam em alta na bolsa brasileira (B3) nesta segunda-feira, 6 de setembro, no primeiro pregão depois que o Ministério da Agricultura informou no sábado a ocorrência de dois casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como a doença da vaca louca, no país.

As ações com direito a voto da JBS (JBSS3) fecharam com alta de 3,22%, assim como os papéis da BRF (BRFS3), com ganho de 0,88% e da Marfrig (MRFG3), com avanço de 2,58%.

A Minerva (BEEF3), maior exportadora de carne bovina da América do Sul, liderou as altas no Ibovespa, com alta de 6,68% no fechamento do pregão, para 8,31 reais.

De acordo com analistas, os papéis das produtoras de carnes não foram afetados porque a expectativa é que as exportações do Brasil para a China devem ser retomadas por se tratarem de casos isolados.

Em 2019, os embarques ficaram suspensos por quase duas semanas, lembraram os mesmos analistas. Ou seja, a avaliação é que se trata de casos pontuais.

Na manhã desta segunda-feira, importadores chineses de carne disseram que a suspensão das exportações do Brasil não teve impacto imediato no mercado e que alguns frigoríficos ainda fizeram compras antecipadamente com base em uma expectativa de rápida retomada do comércio.

De forma a evitar quedas em suas ações, alguns frigoríficos foram ao mercado levar esclarecimentos aos investidores, destacam os analistas.

Em comunicado, a Minerva disse que sua subsidiária Athena Foods, com duas plantas no Uruguai e uma na Argentina, atenderá à demanda da China com a suspensão do Brasil. A Minerva lembrou que a suspensão das exportações brasileiras é “temporária e deverá ser retomada em um curto espaço de tempo”.

Já a Marfrig destacou que tem seis unidades na América do Sul que podem exportar para a China com a suspensão do Brasil. São quatro no Uruguai e duas na Argentina.

“O tratamento que vem sendo dado ao caso comprova a eficiência e a transparência dos mecanismos brasileiros de rastreabilidade e de controle sanitário”, acrescentou a companhia em comunicado.

Nesta segunda-feira, a B3 operou com baixo volume em razão de feriado nos Estados Unidos e do feriado prolongado no Brasil devido ao 7 de Setembro. A bolsa fechou em alta de 0,80%, aos 117.868 pontos.

Na Ásia, as bolsas asiáticas fecharam sem direção única, mas com forte viés positivo, em dia de mercados fechados nos Estados Unidos devido ao feriado do Dia do Trabalho. O Nikkei, índice de referência da bolsa de Tóquio fechou em alta de 1,83%, puxadas para cima pelas ações das companhias de transporte e tecnologia.

(Com Agência O Globo)