Magalu, Positivo, IRB: as 10 maiores altas e baixas do Ibovespa em agosto

Índice avança 6% no mês com perspectiva de estabilização da taxa Selic e impulso dos balanços
Painel com cotações na bolsa brasileira, a B3 (Germano Lüders/Exame)
Painel com cotações na bolsa brasileira, a B3 (Germano Lüders/Exame)
Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Publicado em 31/08/2022 às 18:43.

Última atualização em 31/08/2022 às 18:44.

O mês de agosto terminou agridoce para a bolsa brasileira. Embora tenha acumulado ganhos de quase 6,2% no período, o índice fechou o mês em tendência negativa, com investidores preocupados com a política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que pode ficar mais restritiva para conter a inflação.

Para o Banco Central brasileiro, no entanto, o cenário parece ser o oposto. O mercado tem apostado cada vez mais na estabilização da taxa básica de juros, a Selic, após o último aumento, para 13,75% ao ano. 

A decisão beneficiou as empresas associadas à economia doméstica e companhias de crescimento, ambas mais afetadas pela taxa de juros. Com a perspectiva de que as taxas vão parar de subir, investidores voltaram a olhar para os papéis dessas companhias.

Entre as maiores altas, estão as ações das empresas de tecnologia Positivo (POSI3), Locaweb (LWSA3) e Méliuz (CASH3), além das varejistas Magazine Luiza (MGLU3) e Via (VIIA3).

No caso da Positivo, que saltou 76% no mês, os papéis se beneficiam ainda do resultado do segundo trimestre da empresa, que teve avanço de 75,6% no lucro líquido, para R$ 90,5 milhões de reais.

A temporada de balanços, a propósito, também influenciou os papéis do Magalu, que fortaleceram os ganhos após a divulgação do último resultado. As ações da companhia saltaram 18% logo após o balanço, mesmo com a divulgação de um prejuízo de R$ 135 milhões no período, impactado pela alta da inflação e dos juros.

Analistas reforçam que a empresa teve uma melhora na geração de caixa, e que as perspectivas são positivas para os próximos meses considerando ganhos com eventos sazonais como a Copa do Mundo.

As 10 maiores altas do Ibovespa em agosto

Nome Código

Retorno em agosto

1

Positivo POSI3

76,79%

2

Magazine Luiza MGLU3

56,99%

3

Azul AZUL4

39,39%

4

Pão de Açúcar PCAR3

35,49%

5

Grupo Soma SOMA3

36,50%

6

Via VIIA3

32,52%

7

Locaweb LWSA3

31,97%

8

Cielo CIEL3

28,50%

9

Méliuz CASH3

23,58%

10

Hapvida HAPV3

18,95%

Fonte: B3

Em um mês majoritariamente positivo, a principal queda de agosto ficou com o IRB (IRBR3) que desabou 14,58% no mês – apenas nesta semana, a queda é ainda maior, de 18,41% no pregão desta semana.

O ressegurador acumula um histórico turbulento desde antes da pandemia que envolve escândalos na governança da empresa, como transações irregulares envolvendo ex-diretores da empresa e fraudes.

Neste mês, o papel do IRB voltou ao radar com o anúncio de um follow-on de R$ 1,2 bilhão.

“Para atender a exigências regulatórias, acaba se vendo obrigada a realizar uma oferta de ações para se capitalizar, sob risco de sofrer intervenção da SUSEP [reguladora do mercado de seguros]. Como o humor do mercado com a empresa não é dos melhores e o timing não ajuda, a oferta vem com um desconto relevante sob os preços de mercado”, avalia João Vítor Freitas, analista da Toro Investimentos.

Outra ação a amargar perdas foi a Braskem (BRKM5). A companhia começou o mês com o pé esquerdo após negar que existem avanços para que a Novonor (ex-Odebrecht) e a Petrobras vendam suas participações na petroquímica. 

O desinvestimento é aguardado com ansiedade por investidores desde o ano passado. Em dezembro, a Petrobras aprovou o modelo de venda de até 100% das ações que detém na petroquímica via oferta pública secundária (follow-on). A petroleira tem uma fatia de 36,15% na petroquímica, enquanto a Novonor detém participação de 38,4%. 

As 10 maiores quedas do Ibovespa em agosto

Nome Código

Retorno em agosto

1

IRB IRBR3

-14,58%

2

Braskem BRKM5

-12,15%

3

Engie EGIE3

-8,85%

4

Yduqs YDUQ3

-8,41%

5

Telefônica VIVT3

-7,78%

6

JBS JBSS3

-6,98%

7

Suzano SUZB3

-6,76%

8

Natura NTCO3

-6,00%

9

Qualicorp QUAL3

-5,31%

10

Vale VALE3

-5,26%

Fonte: B3