Inflação nos EUA, debêntures da Totvs, Itaúsa conclui investida na CCR e o que mais move o mercado

Rali segue firme no mercado internacional, enquanto investidores aguardam dados da inflação de agosto dos Estados Unidos; CPI será o último antes de decisão do Fed
 (o: Khanchit Khirisutchalual/Getty Images)
(o: Khanchit Khirisutchalual/Getty Images)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 13/09/2022 às 07:34.

Última atualização em 13/09/2022 às 10:19.

Investidores internacionais dão continuidade ao apetite ao risco, com bolsas em alta e o dólar em queda na manha desta terça-feira, 13, enquanto seguem à espera dos números da inflação americana.

O Índice de Preço ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) de agosto será divulgado às 9h30 sob expectativa de deflação mensal de 0,1%. Para o CPI anual o consenso é de desaceleração de 8,5% para 8,1%. O CPI será o último antes da decisão do Federal Reserve do próximo dia 21. Com a probabilidade de mais uma alta de 0,75 ponto percentual sendo precificada próxima de 90%, os dados desta terça podem mexer com as estimativas do mercado, mas a chance de mudar o consenso para a próxima decisão é limitada.

Declarações mais contracionistas de membros do Fed reduziram as esperanças de um ajuste mais brando, de 0,5 p.p., nas últimas semanas. Por outro lado, o endurecimento de outros bancos centrais no combate à inflação, em especial o europeu, fortaleceu outras moedas frente ao dólar. No Brasil, a moeda americana caiu cerca de 1% no último pregão, encerrando abaixo de R$ 5,10.

Mas números mais fortes que o esperado para o CPI desta terça ainda têm potencial de azedar o rali para ativos de risco, que se estende desde a última semana. Bolsas de Nova York chegam para o pregão desta terça com quatro altas consecutivas, enquanto o Ibovespa subiu em seis dos últimos sete pregões.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Desempenho dos indicadores às 7h30 (de Brasília):

  • Dow Jones futuro (Nova York): + 0,51%
  • S&P 500 futuro (Nova York): + 0,53%
  • Nasdaq futuro (Nova York): + 0,49%
  • DAX (Frankfurt): + 0,53%
  • CAC 40 (Paris): + 0,48%
  • FTSE 100 (Reino Unido): + 0,36%
  • Stoxx 600 (Europa): + 0,23%
  • Hang Seng (Hong Kong)*: - 0,18%
  • Shangai Composite (Xangai)*: + 0,50%

Totvs: R$ 1,5 bi em debêntures

A Totvs (TOTS3) anunciou sua 4ª emissão debêntures simples, no valor de R$ 1,5 bilhão e vencimento em setembro de 2027. A remuneração das debêntures será de DI + 1,35% ao ano. Com a emissão, a companhia espera otimizar o custo financeiro e alongar seu endividamento bruto. O dinheiro da emissão será todo utilizado no resgate antecipado das debêntures da 3ª emissão.

Itaúsa entra na CCR

A CCR (CCRO3) informou que a Itaúsa e a Votorantim concluíram a compra da totalidade das ações da companhia que estavam sob posse da Andrade Gutierrez. A Andrade Gutierrez tinha 14,86% de participação na concessionária. A Itaúsa ficou com 10,33% por R$ 2,9 bilhões.

Com a chegada da Itaúsa e o aumento de participação da Votorantim no negócio, Roberto Egydio Setubal, Vicente Furletti Assis, João Henrique Batista de Souza Schmidt e Mateus Gomes Ferreira foram eleitos para o Conselho de Administração da CCR.

BR Properties

A BR Properties (BRPR3) anunciou que irá pagar R$ 2,42 por ação até o dia 14 de outubro como parte do programa de redução de capital anunciada em julho. A data base para o recebimento do direito será 30 de setembro. Investidores que comprarem as ações a partir de 3 de outubro não terão direito ao pagamento.

Leia mais: