Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Inflação é problema sério e Fed precisa responder, diz Bullard

Presidente do Fed de St. Louis reforçou que taxa deve permanecer alta por algum tempo para garantir controle da inflação

Modo escuro

Continua após a publicidade
Fed: taxas de juro nos EUA devem ficar altas por mais tempo que o esperado (Kevin Lamarque/Reuters)

Fed: taxas de juro nos EUA devem ficar altas por mais tempo que o esperado (Kevin Lamarque/Reuters)

S
Steve Matthews, da Bloomberg

Publicado em 27 de setembro de 2022 às, 15h39.

Última atualização em 27 de setembro de 2022 às, 16h25.

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano) de St. Louis, James Bullard, disse que a credibilidade da meta de inflação do Fed foi ameaçada pela inflação elevada.

“Este é um problema sério e precisamos ter certeza de que responderemos adequadamente”, disse Bullard nesta terça-feira, 27, durante uma conferência econômica em Londres. “Elevamos a taxa básica de juro significativamente neste ano e mais aumentos são indicados”, nas previsões mais recentes do Fed.

Autoridades do Fed subiram os juros em 0,75 ponto percentual (p.p.) na semana passada pela terceira reunião consecutiva, o que elevou a meta para a taxa básica dos fundos federais a um intervalo entre 3% e 3,25%. As projeções medianas mostram que as autoridades preveem que os juros chegarão a 4,4% até o fim deste ano e a 4,6% em 2023, uma postura que indica mais aperto monetário do que o previsto em seu chamado “dot plot”, ou gráfico de pontos.

“Acabamos de chegar ao ponto em que podemos argumentar que estamos em território restritivo”, afirmou. Em referência à trajetória refletida no gráfico de pontos do Fed, Bullard disse: “Acho que precisamos permanecer nessa taxa mais alta por algum tempo para garantir que o problema da inflação esteja sob controle”.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Autoridades do Fed sinalizaram que esperam mais 1,25 ponto percentual em aumentos nas duas últimas reuniões de política monetária do ano, em novembro e dezembro, de acordo com a mediana de suas projeções. Investidores esperam um quarto aumento seguido de 0,75 ponto percentual na reunião de 1º e 2 de novembro, de acordo com preços dos contratos futuros.

Bullard afirmou que os EUA enfrentam risco de recessão. Mas minimizou o grau de ameaça sinalizado nos mercados financeiros pela forma como a curva de juros está invertida — quando títulos de prazo mais curto rendem mais do que os de vencimento mais longo.

“Você esperaria que a curva de juros estivesse invertida com base no cenário nominal, e não necessariamente com base na previsão de uma recessão”, disse. “É encorajador que as expectativas de inflação estejam no lugar certo.”

Autoridades do Fed têm ecoado o mesmo discurso em defesa do aperto monetário para frear a inflação, perto do maior nível em quatro décadas. Mais cedo, o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, disse em entrevista à CNBC Europa que é a favor de aumentos contínuos, embora também tenha afirmado que os juros poderiam atingir um pico em março, seguidos por uma pausa em qualquer decisão e, possivelmente, quedas das taxas.

Últimas Notícias

Ver mais
Calendário do investidor: 5 assuntos quentes para o Brasil nesta semana

seloMercados

Calendário do investidor: 5 assuntos quentes para o Brasil nesta semana

Há 11 horas

Prates: Petrobras seguirá comprando créditos de carbono no mercado voluntário

seloMercados

Prates: Petrobras seguirá comprando créditos de carbono no mercado voluntário

Há um dia

Petróleo fecha em baixa, diante de incertezas sobre cortes de oferta da Opep

seloMercados

Petróleo fecha em baixa, diante de incertezas sobre cortes de oferta da Opep

Há 2 dias

Ouro fecha dia e semana em alta, em meio a otimismo com Fed menos agressivo

seloMercados

Ouro fecha dia e semana em alta, em meio a otimismo com Fed menos agressivo

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Com itens personalizados, Tramontina usa expertise para aproveitar alta dos presentes de fim de ano

Com itens personalizados, Tramontina usa expertise para aproveitar alta dos presentes de fim de ano

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais