Ibovespa supera 111 mil pontos e bate máxima em um mês; dólar cai a R$ 4,76

PIB americano do primeiro trimestre é revisado para baixo e reduz expectativa de aperto monetário mais duro nos EUA
Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)
Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)
Por Beatriz Quesada, Guilherme GuilhermePublicado em 26/05/2022 17:34 | Última atualização em 26/05/2022 18:40Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Ibovespa hoje: o principal índice da bolsa brasileira seguiu a firme alta no mercado internacional nesta quinta-feira, 26, voltando a superar 111 mil pontos pela primeira vez desde o fim de abril. Na máxima do dia, o Ibovespa chegou a superar os 112 mil pontos.

  • Ibovespa: + 1,34%, 111.889 pontos

A divulgação de dados da atividade econômica americana — que veio abaixo do esperado — foi o pano de fundo para o bom humor dos mercados. O PIB americano do primeiro trimestre foi revisado nesta manhã de uma queda de 1,4% para um recuo de 1,5%.

Apesar de não ser um bom indicativo em termos gerais, o dado fortalece a interpretação de que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) não irá aumentar a velocidade de alta da taxa de juro, uma vez que o aperto monetário pode prejudicar ainda mais a economia.

No exterior, o rali para as ações americanas ganhou força ainda na última tarde, quando a ata do Fed confirmou as projeções do mercado sobre a manutenção do ritmo de alta de juros nos Estados Unidos, afastando a possibilidade de uma elevação mais agressiva nas próximas reuniões. 

Buscas por pechinchas também motivaram compras de ações, especialmente nos Estados Unidos, onde os principais índices de ações vêm da mais longa sequência de quedas desde a época da bolha da internet, em 2001.

  • Dow Jones (EUA): + 1,61%
  • S&P 500 (EUA): + 1,99%
  • Nasdaq: + 2,68%

O movimento de alívio se refletiu no dólar, que apresentou queda global nesta quinta-feira. O Índice Dólar (DXY), que compara o desempenho do dólar ante outras moedas fortes, caiu 0,29%. Ante o real, o movimento foi ainda mais acentuado, com o dólar recuando mais de 1%.

  • Dólar comercial: - 1,23%, a R$ 4,761

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Destaques de ações

Na bolsa brasileira, as ações da Cielo lideraram as altas do Ibovespa, após analistas do JPMorgan elevarem a recomendação dos papéis de neutra para compra e estabelecerem preço alvo de R$ 5. A companhia disparou mais de 11%, encerrando o pregão negociada a R$ 4,04 por ação.

  • Cielo (CIEL3): + 11,30%

Na ponta negativa, os papéis de energia lideraram as perdas do dia, com investidores aguardando o registro para oferta de ações da Eletrobras para hoje, após o fechamento do pregão. A oferta já atrai demanda de R$ 13 bilhões, segundo a Bloomberg.

  • Energisa (ENGI11): - 2,88%
  • Taesa (TAEE11): - 2,77%
  • Eletrobras (ELET6): - 2,55%
  • Eletrobras (ELET3): - 2,05%