Ibovespa hoje: bolsa fecha no zero a zero entre alta da Petrobras e exterior negativo

Investidores digerem dados fortes do mercado de trabalho americano, após ata mais branda do Fed
Painel de cotação da B3 (Germano Lüders/Exame)
Painel de cotação da B3 (Germano Lüders/Exame)
G
Guilherme Guilherme e Beatriz Quesada

Publicado em 18/08/2022 às 10:45.

Última atualização em 18/08/2022 às 18:10.

O Ibovespa fechou esta quinta-feira, 18, perto da estabilidade, refletindo a maior cautela no mercado internacional. Por aqui, as ações da Petrobras subiram e minimizam a queda do índice.

  • Ibovespa: + 0,09%, 113.499 pontos

A estatal avançou com a ajuda da apreciação do petróleo no exterior. O petróleo Brent, referência para a política de preços da Petrobras, salta mais de 3%, voltando a superar a marca de US$ 95 por barril. A valorização teve como pano de fundo quedas acima das projetadas para os estoques de petróleo e gasolina dos Estados Unidos.

Apesar da apreciação da commodity, as principais bolsas internacionais encerraram o dia em leve alta, com investidores ainda digerindo a ata do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), divulgada na véspera. A expectativa era que o documento sobre a última reunião de política monetária desse pistas sobre os próximos passos do Fed, mas não sanou a dúvida do que esperar para a decisão de setembro.

Embora o tom da ata, considerado mais "dovish", tenha aumentado a aposta de redução do ritmo de alta de juro para 0,50 ponto percentual (p.p.), a probabilidade de manutenção do ritmo de 0,75 p.p., segue acima de 30%, segundo monitor do CME Group.

"O Fed vê um ritmo mais lento de aumentos de juros conforme apropriado, embora a política acabe sendo dependente de dados", disseram economistas do Bank of America, em relatório. 

Nos Estados Unidos, investidores digeriram ainda os dados do mercado de trabalho americano. Os pedidos semanais de seguro desemprego ficaram abaixo do esperado, em 250.000 ante consenso de 262.000. Os números também foram menores que os 252.000 revisados da quarta-feira passada.

  • Dow Jones (EUA): + 0,06%
  • S&P 500 (EUA): + 0,23%
  • Nasdaq (EUA): + 0,17%

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Ações em destaque

A perspectiva de juros mais altos nos Estados Unidos também impactaram as ações brasileiras. Os papéis mais associados aos juros voltaram a cair com a abertura da curva de juros no Brasil. Vale lembrar que as ações vinham em trajetória de alta após a sinalização de encerramento do ciclo de alta no Brasil. 

  • Yduqs (YDUQ3): - 5,28%
  • Americanas (AMER3): - 4,28%
  • MRV (MRVE3): - 4,17%

Já as ações da Natura (NTCO3), que caíram após divulgação do balanço do segundo trimestre, fecharam o dia na direção contrária, subindo mais de 5% e recuperando parte das perdas. 

Totvs (TOTS3) também avançou. A alta ocorre após o anúncio da aquisição da RBM pela subsidiária Dimensa, negócio tocado em parceria com a B3.