Ibovespa hoje: Bolsa sobe 2% com exterior e dados de inflação no radar

Vale salta mais de 5% e puxa alta do índice, após valorização do minério de ferro por esperanças de novos estímulos na China
Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)
Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 09/09/2022 às 10:47.

Última atualização em 09/09/2022 às 16:30.

O Ibovespa sobe nesta sexta-feira, 9, seguindo o terceiro dia de recuperação das bolsas americanas, que caminham para quebrar a sequência de três quedas semanais. A valorização de mais de 3% das ações da Vale é o que puxa a alta do índice nesta tarde.

  • Ibovespa: + 2,25%, 112.392 pontos
  • S&P 500 (EUA): + 1,27%

A apreciação dos papéis ocorre em linha com o minério de ferro, que fechou nesta madrugada na máxima em duas semanas. As negociações, segundo a Reuters, foram impulsionadas por expectativas de novos estímulos do governo chinês dados de inflação da China terem saído abaixo do consenso de mercado.

O Índice de Preço ao Consumidor (IPC) chinês teve queda de 0,1% em agosto, encerrando o período com 2,5% de alta acumulado em 12 meses. A inflação anual ao produtor chinês, que estava em 4,2% em julho, caiu para 2,3%. Além das ações da Vale, as grandes siderúrgicas operam entre as maiores altas da sessão.

Economistas também digerem dados do IPCA divulgados nesta sexta. A inflação brasileira caiu 0,36% em agosto, confirmando o segundo mês consecutivo de deflação. O número, no entanto, saiu mais forte do que a mediana de 0,40% de queda projetada pelo mercado. A deflação foi puxada, principalmente pela inflação do setor de transportes, que caiu 3,37%.

"Temos uma queda na inflação na margem, motivada por fatores exógenos à dinâmica de preços, com corte de impostos. Mas ainda temos uma projeção de alta de preços", disse em nota André Perfeito economista-chefe da Necton.

Em entrevista à Exame Invest, a economista-chefe do Inter, Rafaela Vitória, destacou a persistência da inflação de outros setores e disse que os dados reforçam o adiamento do início do ciclo de corte de juros pelo Banco Central. A perspectiva se reflete nas taxas de juros futuras, que operam em leve alta na bolsa nesta sexta.

Ações em destaque

Apesar da perspectiva de um controle mais duro da inflação, ações de consumo e construtoras, mais dependentes de juros baixos, são destaque de alta. Ações da MRV e Americanas lideram o rali, enquanto CVC, Cyrela e Natura sobem mais de 4%.

Investidores também repercutem o anúncio do fim das negociações pelo Campo Albacora entre PetroRio e Petrobras. Embora fosse considerado um ativo altamente estratégico para os planos de crescimento da maior petrolífera privada do país, as ações da  PetroRio oscilam apenas próximas da estabilidade nesta sexta.

  • PetroRio (PRIO3): + 0,87%
  • Petrobras (PETR4): + 1,07%

O desfecho negativo, segundo analistas da Ativa, já era esperado, dado o longo período de negociação. "A não concretização da compra demonstra que a PetroRio não estar interessada em apenas crescer por crescer, o que é positivo", disseram em nota.