Invest

Ibovespa fecha em leve alta e se mantém próximo de níveis recordes

Mercado internacional reage positivamente aos dados da economia americana; no Brasil, setor de educação é destaque de alta

Foto: Cris Faga/NurPhoto/Getty Images (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)

Foto: Cris Faga/NurPhoto/Getty Images (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)

BQ

Beatriz Quesada

Publicado em 27 de maio de 2021 às 17h32.

Última atualização em 27 de maio de 2021 às 17h44.

Em um dia morno no mercado local, o Ibovespa encerrou o pregão em leve alta nesta quinta-feira, 27. O principal índice da B3 avançou 0,30%, aos 124.366 pontos, após passar o dia entre altos e baixos. Vale lembrar que esta é apenas a terceira vez em que o Ibovespa consegue encerrar o pregão acima dos 124.000 pontos. O atual recorde de fechamento é de 125.076,63 pontos, batido no início de janeiro.

Invista com o maior banco de investimentos da América Latina. Abra sua conta no BTG Pactual digital

“Como a bolsa está próxima da máxima histórica, há uma briga forte no índice. Ainda assim, o mercado está sustentando esses patamares [em torno dos 124.000 pontos]. Os investidores estão otimistas, colocando na conta os novos modelos macroeconômicos que preveem maior alta do PIB para este ano", diz Thomas Giuberti, sócio da Golden Investimentos.  

Nesta quinta-feira, as ações de empresas educacionais dominaram as maiores altas. Os papéis da Yduqs (YDUQ3) subiram 6,67%, enquanto a concorrente Cogna (COGN3) avançou 6,19%. Investidores estão apostando na recuperação de um dos setores mais afetados pela pandemia e, no caso da Cogna, existe a chance de uma nova aquisição para o segundo semestre.

Embraer (EMBR3) também foi destaque de alta, subindo mais de 6,05%. Já no extremo oposto, os papéis da Azul (AZUL4) caíram 4,58%, com investidores realizando lucros, após dois pregões de fortes altas em meio a rumores de que a empresa pode comprar as operações da Latam no Brasil.

Com a maior participação no índice, as ações da Vale (VALE3) subiam 0,72%, dando suporte para a alta do índice. O movimento foi em linha com a leve recuperação do minério de ferro na China. A commodity tem enfrentado volatilidade nos últimos dias com o governo chinês tentando controlar a escalada de preço do minério.

"Por mais que a China tente controlar o preço do minério de ferro, ele vai continuar pressionado. No preço que está, ainda está entrando muito dinheiro [na Vale]", comenta Giuberti.

As ações das siderúrgicas CSN (CSNA3) e Usiminas (USIM5), arrefeceram os ganhos mas ainda fecharam em alta, subindo 0,49% e 0,34%, respectivamente. Já a Gerdau (GGBR4) avançou 2,12%.

Maiores altas

Maiores quedas

YduqsYDUQ3

6,67%

AzulAZUL4

-4,58%

HeringHGTX3

6,63%

LocalizaRENT3

-2,62%

CognaCOGN3

6,19%

FleuryFLRY3

-2,32%

O cenário externo também ajudou a sustentar o Ibovespa em terreno positivo, com os principais índices americanos subindo, após a divulgação de uma série de dados econômicos dos Estados Unidos. 

O principal índice americano, o S&P 500, encerrou o dia em alta de 0,12%. Ligado à economia tradicional Dow Jones foi o mais beneficiado pela divulgação dos dados, e avançou 0,41%. Já o índice de tecnologia Nasdaq teve leve variação negativa de 0,01%.

Divulgada nesta manhã, a segunda prévia do PIB americano do primeiro trimestre confirmou a alta de 6,4% apresentada em abril. A expectativa do mercado era de uma leve correção para 6,5%. Por outro lado, os pedidos de bens duráveis e de seguro-desemprego sinalizaram forte recuperação da economia americana no segundo trimestre.

Também divulgados nesta manhã, os pedidos semanais de seguro-desemprego caíram de 444.000 para 406.000, registrando uma nova mínima desde o início da pandemia. As estimativas eram de queda para 425.000. Já os pedidos de bens duráveis de abril tiveram alta mensal de 1% ante o crescimento previsto de 0,8%.

Embora os dados possam sugerir maior pressão inflacionária que tem sido a preocupação principal do mercado —, as bolsas reagiram bem aos números apresentados. A preocupação, agora, passa a ser com os preços das despesas de consumo pessoal, que serão divulgados nesta sexta-feira, 27.

O bom humor dos investidores se refletiu no mercado de câmbio, com o dólar caindo 1,09% e sendo negociado pouco abaixo de 5,30 reais. Foi a terceira queda da moeda americana nesta semana.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Acompanhe tudo sobre:Açõesbolsas-de-valoresDólarDow JonesIbovespaNasdaqRealS&P 500

Mais de Invest

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Conheça as vantagens do Cartão BTG Black e saiba como pedir o seu

Mais na Exame