Ibovespa: discurso de Powell impulsiona virada nas bolsas

Preocupação com saúde da economia afeta preços do petróleo e minério de ferro
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
Por Beatriz QuesadaPublicado em 22/06/2022 10:33 | Última atualização em 22/06/2022 13:54Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Ibovespa hoje: o principal índice da bolsa brasileira opera em alta nesta quarta-feira, 22, após cair mais de 1% pela manhã. Mais cedo, o índice foi pressionado pelas quedas do setor de commodities e pelo temor de recessão global. O Ibovespa arrefeceu as perdas com a virada para o positivo das bolsas nos Estados Unidos.

  • Ibovespa: + 0,34%, aos 100.023 pontos
  • Dow Jones (EUA): +  0,16%
  • S&P 500 (EUA): + 0,28%
  • Nasdaq (EUA): + 0,41%

O clima melhorou após testemunho do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, no congresso americano. Powell afirmou que as condições econômicas dos EUA são, em geral, favoráveis, destacando que o mercado de trabalho está fortalecido e pode enfrentar o ciclo de aperto monetário. 

A principal preocupação dos investidores é que a batalha do Fed contra a inflação cause uma recessão, que influencie não só os EUA, mas também a economia global. O temor ganhou força na última quarta-feira, quando o Fed elevou a taxa básica em 0,75 ponto percentual (p.p.), realizando a maior elevação do juro americano desde 1994

A virada nas bolsas também impactou o câmbio, tirando força do dólar. Após subir até R$ 5,182 na máxima do dia, a moeda passou a operar em leve alta contra o real.

  • Dólar comercial: + 0,05%, a R$ 5,156

Commodities em queda

As ações de commodities são os principais impulsos negativos do Ibovespa nesta quarta-feira, com destaque para Vale (VALE3), que caiu mais de 4% na mínima do dia. Papéis ligados ao minério de ferro, como siderúrgicas, também operam em queda. 

O movimento reage à queda no preço do minério, que caiu 5,2% para US$ 108,95 a tonelada em Singapura. O motivo da queda é a preocupação que uma recessão global puxada pelos EUA possa minar a demanda pela commodity.

No setor de petróleo, o preço do barril recua cerca de 2% no exterior, também refletindo  preocupações de que uma desaceleração econômica global prejudique a demanda. Na mínima do dia, a commodity despencou mais de 6%. Como consequência, as petroleiras recuam em bloco e ficam entre as maiores quedas do dia.

Os papéis da Petrobras (PETR3/PETR4), por outro lado, avançam, se recuperando das baixas da véspera. Desde a última semana, a estatal enfrenta um debate com o governo, que busca interferir na política de preços da empresa para reduzir o preço dos combustíveis em ano eleitoral. 

Em novo capítulo do embate, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta manhã, que a nova diretoria da Petrobras, quando empossada, pode mudar a política de preços de paridade internacional (PPI).

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Destaques da bolsa

Os papéis do IRB (IRBR3) também ficam entre as maiores quedas do dia, recuando mais de 6% após a empresa divulgar um prejuízo de R$ 92,7 milhões no mês de abril. O valor representa um aumento de 89,6% em relação ao prejuízo de R$ 48,9 milhões registrado no mesmo mês do ano passado.

Do lado oposto, as ações da Minerva (BEEF3) lideram os ganhos do Ibovespa nesta quarta. O papel foi apontado como escolha principal do setor pelos analistas do Santander, que recomendaram compra da ação, com preço-alvo de R$ 19 para 2023. O potencial de alta é de 49% considerando o preço do último fechamento, quando a ação era negociada a R$ 12,73.

Veja também