Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Fleury (FLRY3) pode levantar até R$ 1,2 bilhão em aumento de capital: veja preço por ação

Data de corte para receber direito de subscrição será nesta quinta-feira; proporção será de 1 para cada 0,22 nova ação

Modo escuro

Fleury; dinheiro será usado para financiar crescimento e reduzir dívida (Fleury/Divulgação)

Fleury; dinheiro será usado para financiar crescimento e reduzir dívida (Fleury/Divulgação)

G
Guilherme Guilherme

Publicado em 17 de outubro de 2022, 08h34.

Última atualização em 17 de outubro de 2022, 09h01.

O Fleury (FLRY3) anunciou nesta segunda-feira, 17, o aumento de capital privado de no mínimo R$ 602,6 milhões e de no máximo R$ 1,218 bilhão. As novas ações serão emitidas a R$ 17,27, com desconto de 6,5% em relação à cotação do último fechamento. Do valor por ação, R$ 11,52 será destinado à reserva de capital e R$ 5,75 ao capital social.

Os acionistas do Fleury terão direito de preferência na subscrição na proporção de 1 para 0,2223 nova ação. Eventuais sobras serão reagrupadas em uma nova oferta. Para ter acesso, o interesse nas sobras terá que ser manifestado no ato da subscrição.

A data de corte para o cálculo do direito de subscrição será na quinta-feira, 20 de outubro. Ou seja, quem comprar ação após a data não receberá o direito de subscrição. Esse direito poderá ser negociado em bolsa sob o ticker FLRY1.

O prazo de exercício do direito de preferência de subscrição será do dia 21 de outubro a 21 de novembro.

Acionistas que não exercerem o direito de subscrição terão suas respectivas participações diluídas pelo aumento de capital. Essa diluição poderá ser de no mínimo 9,88% e no máximo de 18,15%.

O dinheiro arrecadado na oferta será destinado à estratégia de crescimento, continuidde dos planos de expansão orgânica, melhora de posição de caixa e menor alavancagem.

Com planos de crescimento baseado em aquisições, o Grupo Fleury terminou o segundo trimestre com dívida líquida de R$ 2,116 bilhões, 36,9% acima do registrado no primeiro trimestre. A relação dívida/Ebtida saltou de 1,4x para 1,8x.

O uamento da dívida tem provocado maior prejuízo financeiro, que no segundo trimestre ficou em R$ 86,3 milhões, mais que o dobro do registrado no primeiro trimestre, quando ficou em R$ 36,2 milhões.

 

Últimas Notícias

ver mais
Oncoclínicas avalia nova oferta de ações e papéis caem
seloMercados

Oncoclínicas avalia nova oferta de ações e papéis caem

Há 3 horas
Itaú (ITUB4) de saída da Argentina? Banco negocia venda de filial
seloMercados

Itaú (ITUB4) de saída da Argentina? Banco negocia venda de filial

Há 3 horas
Sonda da Petrobras é retirada da região da foz do Amazonas e levada para o RJ
seloMercados

Sonda da Petrobras é retirada da região da foz do Amazonas e levada para o RJ

Há 4 horas
Santander Asset revisa crescimento de 2023 para acima de 2%, mas 2024 ainda preocupa
seloMercados

Santander Asset revisa crescimento de 2023 para acima de 2%, mas 2024 ainda preocupa

Há 4 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais