Acompanhe:

Facebook captou 38% do total mundial de IPOs no 2º trimestre

Com a operação, Nasdaq foi a bolsa mundial que mais movimentou dinheiro em aberturas de capital no mundo

IPO do Facebook correspondeu por 38% da captação global no 2º trimestre (Getty Images / Scott Olson)

IPO do Facebook correspondeu por 38% da captação global no 2º trimestre (Getty Images / Scott Olson)

L
Lilian Sobral

Publicado em 16 de julho de 2012, 17h56.

São Paulo – A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Facebook (FB), realizada em maio deste ano, correspondeu sozinha por 38% do volume movimentado com aberturas de capital no mundo no primeiro trimestre deste ano, conforme aponta pesquisa da Ernst & Young Terco divulgada nesta segunda-feira.

A rede social de Mark Zuckerberg captou na ocasião 16 bilhões de dólares, marcando o maior IPO de uma empresa de internet, terceiro maior IPO já realizado no mercado americano, e sétimo maior da história.

No trimestre, apontou a pesquisa da Ernst & Young Terco, a atividade global registrou 206 aberturas de capital, queda de 46% ante o mesmo trimestre de 2011. O volume captado foi de 41,8 bilhões de dólares, 36% menor que no segundo trimestre do ano passado.

Bolsas campeãs

Com a ajuda do Facebook, a Nasdaq acabou sendo a bolsa com a maior captação no mundo no período. Foram 12 IPOs que totalizaram 17,5 bilhões de dólares (1,5 bilhão de dólares em 11 negócios, sem contar o Facebook), ou 42% do valor total no mundo.

Em seguida, ficou a principal concorrente, a NYSE, com 15 IPOs que totalizaram 4,6 bilhões de dólares, ou 10,9% do total movimentado. A Bolsa de Valores da Malásia ficou em terceiro, com quatro ofertas iniciais que totalizaram 3,4 bilhões de dólares.

Brasil lidera na América Latina

Na América Latina ocorreram apenas sete aberturas de capital no segundo trimestre, distribuídas entre Brasil, Colômbia e México.


Desse total, o Brasil ficou com a maior parcela. Foram realizados no período três IPOs (Unicasa, Locamerica e BTG Pactual), que totalizaram 2,1 bilhões de reais.

Volatilidade na Europa

A crise na zona do euro, que interfere nas condições de todos os mercados mundiais, afetou principalmente as bolsas europeias. Segundo apontou a pesquisa da Ernst & Young, foram realizadas 46 aberturas de capital no continente, totalizando 915 milhões de dólares, um declínio de 68% na comparação com o primeiro trimestre do ano.

André Viola Ferreira, sócio-líder de mercados estratégicos e emergentes da Ernst & Young Terco, explicou que no país houve um aumento dos IPOs em companhias pequenas, o que levou a média dos valores movimentados para baixo.

Setores

Os setores que mais levantaram capital pelo mundo no segundo trimestre foram o de alta tecnologia (17,9 bilhões de dólares em 32 operações), financeiro (5,7 bilhões de dólares em 14 IPOs) e produtos essenciais de consumo (4,5 bilhões de dólares em 18 negócios).