Eve, startup de ‘carro voador’ da Embraer, mostra pela primeira vez a cabine do veículo aéreo

Comunicado divulgado neste domingo traz informações e mock-up apresentado na Farnborough Airshow, feira global de aviação
Eve: participantes de feira poderão ver pela primeira vez cabine de veículo, previsto para circular a partir de 2026 (Eve/Divulgação/Divulgação)
Eve: participantes de feira poderão ver pela primeira vez cabine de veículo, previsto para circular a partir de 2026 (Eve/Divulgação/Divulgação)
K
Karina Souza

Publicado em 17/07/2022 às 15:22.

Última atualização em 17/07/2022 às 15:26.

A Eve, startup de ‘carro voador’ da Embraer, divulgou neste domingo (17), de forma inédita, algumas imagens da cabine do veículo aéreo elétrico (eVTOL) que está desenvolvendo. O mock-up completo será apresentado na Farnborough Airshow, tradicional feira de aviação, que acontece entre 18 e 22 de julho. A experiência, chamada “Fly the Future” vai apresentar a cabine do carro voador aos participantes, como forma de mostrar os avanços na produção do eVTOL.

“Nossas soluções foram pensadas considerando necessidades essenciais de mercado, como acessibilidade, segurança, sustentabilidade e preço da passagem. É sempre emocionante quando chegamos a este estágio de desenvolvimento”, afirma Flavia Ciaccia, vice-presidente de experiência do usuário da Eve, em comunicado.

eVTOL (veículo elétrico de decolagem e pouso vertical)

O veículo usa uma asa e uma cauda convencionais, em vez da configuração anterior. Os oito rotores são fixados ao redor da asa, proporcionando capacidade de decolagem e pouso vertical, bem como segurança e confiabilidade em um design simples, de acordo com a companhia. 

Além de visualizarem a maquete disponível em tamanho real no evento, a companhia afirma que os participantes poderão explorar os recursos externos do veículo usando a tecnologia de realidade aumentada. A previsão é a de que o veículo esteja em operação a partir de 2026. 

eVTOL (veículo elétrico de decolagem e pouso vertical)

(Eve/divulgação/Divulgação)

Os avanços da companhia parecem um bom presságio diante da expectativa de investidores cada vez mais ansiosos em meio ao cenário de aportes em empresas de tecnologia de modo geral. 

A startup concluiu em abril deste ano a fusão com a companhia de cheque em branco Zanite Acquisiton, empresa americana de aquisições voltada para o setor de aviação. Com isso, a empresa passou a ter ações negociadas na bolsa de Nova York. A expectativa, na época, era de que a companhia captasse mais de US$ 500 milhões com a operação. 

As ações estrearam na bolsa a US$ 10,28 e, logo na estreia, os papéis despencaram mais de 20% e já eram cotados a US$ 8,31. A Embraer informou que, no fechamento do negócio, investiu mais US$ 185 milhões por 18,5 milhões de ações ordinárias da Eve. Ao todo, a Embraer Aircraft Holding (EAH), subsidiária da Embraer, detém 238,5 milhões de ações da Eve, cerca de 90% da empresa. 

Atualmente, os papéis estão cotados a US$ 6,71. Na bolsa, a Eve vale US$ 1,77 bilhão, de acordo com os dados do último fechamento.