Euro fraco, corte de gás na Europa e Tesla (TSLA34) na lupa e o que mais move os mercados

Os temores de uma recessão na zona do euro estão aumentando, à medida que os preços do gás disparam e a guerra na Ucrânia não mostra sinais de diminuir
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 05/07/2022 às 07:39.

Última atualização em 05/07/2022 às 07:40.

As bolsas de valores internacionais estão operando em baixa nesta terça-feira, 5, com os investidores de olho na situação econômica europeia e no novo corte no fornecimento de gás russo para a Europa.

As bolsas de valores europeias estão operando todas em forte queda, e o euro chegou em seu nível mais baixo em duas décadas, alcançando quase a paridade com o dólar.

Os temores de uma recessão na zona do euro estão aumentando, à medida que os preços do gás disparam e a guerra na Ucrânia não mostra sinais de diminuir.

O Índice Econômico Sentix de julho, divulgado na última segunda-feira, 4, mostrou que o humor dos investidores em 19 países da zona do euro caiu para seu nível mais baixo desde maio de 2020, apontando para uma recessão “inevitável”.

A inflação na zona do euro atingiu um recorde de 8,6% em junho, levando o Banco Central Europeu (BCE) a avisar antecipadamente os mercados de sua intenção de aumentar as taxas de juros pela primeira vez em 11 anos em sua reunião de julho.

No entanto, os crescentes temores de uma recessão podem limitar a capacidade do banco central de levar adiante uma política monetária restritiva.

As Bolsas asiáticas estão terminando o dia com um andamento misto.

Se no Japão o índice Nikkei está em forte alta, o Shangai Composite opera em queda na esteira da decisão do governo da China de decretar novos lockdowns em duas regiões da província chinesa de Anhui, que estão enfrentando um novo surto de coronavírus (Covid-19).

Desempenho dos indicadores às 7h (de Brasília):

  • Dow Jones futuro (Nova York): - 0,48%
  • S&P 500 futuro (Nova York): - 0,48%
  • Nasdaq futuro (Nova York): - 0,65%
  • FTSE 100 (Londres): - 1,04%
  • DAX (Frankfurt): - 1,16%
  • CAC 40 (Paris): - 1,33%
  • FTSE MIB (Milão): - 0,46%
  • Hang Seng (Hong Kong): + 0,10%
  • Shangai Composite (Xangai): - 0,041%
  • Nikkei (Tóquio): + 1,03%
  • Petróleo Brent: - 0,96%, a US$ 112,41 o barril

O Ibovespa fechou a última segunda-feira perdendo 0,35%, puxado para baixo pelas ações de mineradoras como a Vale (VALE3), Usiminas (USIM3) e Companhia Siderúrgica Nacional Mineração (CMIN3), que seguiram a queda cotação internacional do minério de ferro.

Rússia pronta para mais um corte de gás

A Rússia está prestes a fechar temporariamente o gasoduto Nord Stream 1 – a maior infraestrutura de importação de gás da União Europeia – para manutenção anual.

Essa interrupção está alimentando temores de mais cortes no fornecimento de gás russo. Algo que poderia prejudicar os esforços do bloco para se preparar para o inverno.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Alguns analistas temem que o Kremlin possa usar obras de manutenção planejadas para fechar as torneiras para sempre.

As atividades de manutenção de verão no oleoduto, que corre abaixo das águas do Mar Báltico, entre a Rússia e a Alemanha, estão programadas para ocorrer de 11 a 21 de julho.

A União Europeia recebe cerca de 40% de seu gás através de gasodutos russos, e está tentando reduzir rapidamente sua dependência de hidrocarbonetos russos em resposta ao ataque do presidente Vladimir Putin contra a Ucrânia.

Bolsas de valores de olho na Tesla (TLSA34) após resultados

Os investidores das bolsas de valores do mundo todo estarão de olho na Tesla (TSLA34) nesta terça-feira.

As ações da montadora de carros elétricos voltam para o pregão após a divulgação do resultado decepcionante do segundo trimestre de 2022.

Na última segunda-feira, 4, o BDR da Tesla listado na B3 caiu 1,15%.

A situação da montadora mais capitalizada do mundo, cujo valor de mercado supera os US$ 700 bilhões, está cada vez mais complicada.

Os números do segundo trimestre de 2022 mostraram uma queda de quase 18% das entregas de carros elétricos em relação ao trimestre anterior.

O maior produtor mundial de carros elétricos anunciou no último sábado que entregou 254.695 veículos no período entre abril e junho, em comparação com os 310.048 veículos entregues no trimestre anterior.

Analistas esperavam que a Tesla entregasse 295.078 veículos.

No mesmo período do ano passado o número era ainda menor, pouco mais de 200 mil. Ao longo de todo 2021 a Tesla entregou cerca de 1 milhão de veículos.

Indicadores

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulga nesta terça-feira os indicadores industriais de maio. Enquanto a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulga o emplacamento de veículos de junho.

Veja também