Invest

‘Estou no caminho certo’: Prates nega rumores de saída do comando da Petrobras (PETR4)

O presidente da Petrobras diz que somente hoje tomou conhecimento sobre o assunto e negou que possa deixar o comando da estatal

No X (ex-Twitter), o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, ironizou os rumores (Dado Galdieri/Acervo pessoal)

No X (ex-Twitter), o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, ironizou os rumores (Dado Galdieri/Acervo pessoal)

Janize Colaço
Janize Colaço

Repórter de Invest

Publicado em 20 de março de 2024 às 15h32.

Última atualização em 20 de março de 2024 às 15h53.

As últimas semanas têm sido agitadas para a Petrobras (PETR4) — e ao seu presidente, Jean Paul Prates. Desde que ele anunciou uma postura mais cautelosa em relação aos dividendos, e em seguida o excedente que poderia ir para pagamentos extraordinários ser colocado na reserva de capital, a companhia vem se desvalorizando e cada vez mais envolvida em rumores. O principal deles, e que vem de antes do capítulo dos dividendos, é de que o acionista controlador estaria próximo de demitir Prates.

Leia também: Na novela do dividendo extraordinário da Petrobras, quem ganha – e perde – com a reserva de capital?

No X (ex-Twitter), o presidente da Petrobras ironizou os rumores. Ele, que participa do maior evento global da indústria de petróleo e gás natural, a CeraWeek, em Houston (Estados Unidos), disse que somente hoje tomou conhecimento sobre o assunto e negou que possa deixar o comando da estatal. Segundo ele, devido à agenda cheia, e sem olhar o noticiário, soube apenas hoje que andaram “derrubando-o” por aqui. “Isso só me assegura que estou no caminho certo”, escreveu.

Nem dívida, nem investimentos: o destino dos R$ 43 bilhões

A principal polêmica em volta da Petrobras se refere ao excedente do lucro apurado no fim do ano fiscal de 2023. O montante de R$ 43 bilhões, que o mercado aguardava que pelo menos uma parte iria se materializar como dividendos extraordinários, foi destinado à reserva de capital. O anúncio veio junto com o balanço do quarto trimestre, divulgado na noite de 7 de março.

Em teleconferência com investidores e analistas, Prates afirmou que os nomes indicados pelo governo, acionista majoritário da estatal, foram unânimes em votar pela retenção total do montante. “Respeitamos a decisão soberana do Conselho, mas [o cenário] pode mudar. Essa novela continua, não acabou ainda, pois é uma questão de timing. O dividendo é para distribuição de qualquer forma”, disse.

Alexandre Silveira x Jean Paul Prates

Boatos de que Prates seria demitido da Petrobras têm como origem uma possível insatisfação vinda do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. Há quem especule que o chefe da pasta não estaria contente com a condução da estatal e gostaria de ter um nome mais ligado a ele no comando. Mas nada é confirmado, inclusive Silveira tem negado a informação quando questionado.

O ministro classificou os rumores como “grande especulação”. Após uma reunião com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, junto ao CEO da Petrobras, Silveira afirmou que também que a distribuição de dividendos da estatal não foi debatida. Segundo ele, a companhia avaliará o que fará com os recursos nos próximos dias.

Confira as últimas notícias de Invest:

Acompanhe tudo sobre:PetrobrasPETR4Jean Paul Prates

Mais de Invest

O que esperar do mercado após ataque a Trump

Veja o resultado da Mega-Sena concurso 2748: prêmio acumulado é de R$ 14,6 milhões

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 15 milhões neste sábado; veja como apostar

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Mais na Exame