Entra Eletrobras, sai Vale: as mudanças na carteira de ações do BTG para agosto

Lista de papéis recomendados pelos analistas sofre poucas modificações após mês positivo em julho
Eletrobras: companhia é considerada uma das mais baratas da cobertura do BTG (Pilar Olivares/Reuters)
Eletrobras: companhia é considerada uma das mais baratas da cobertura do BTG (Pilar Olivares/Reuters)
Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Publicado em 01/08/2022 às 15:51.

Última atualização em 01/08/2022 às 16:16.

As ações da Eletrobras (ELET3/ELET6) são um dos principais destaques para a carteira recomendada de ações do BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME). O relatório com as recomendações para o mês de agosto foi divulgado nesta segunda-feira, 1.

Os papéis da elétrica entraram no portfólio dois meses após a privatização da companhia, que levantou R$ 33,7 bilhões via oferta secundária de ações (follow-on).

“Com a empresa agora sendo uma companhia privada, e com o iminente anúncio do conceituado Wilson Ferreira para um segundo mandato como CEO, não faltam oportunidades para melhorar a eficiência operacional e os resultados”, informa o relatório.

Os analistas calculam que a Eletrobras negocia a uma Taxa Interna de Retorno (TIR) – indicador de retorno sobre o investimento analisado – de 12,8%, tornando a ação uma das concessionárias mais baratas no portfólio de cobertura do banco.

Outra adição da carteira é mais uma empresa de energia, a Vibra (VBBR3), antiga BR-distribuidora.  

“A Vibra que deve se beneficiar de fortes volumes, um ambiente competitivo mais amigável e ganhos de estoque (impulsionando os resultados do segundo trimestre), enquanto o recente desempenho inferior a deixou negociando a um valuation barato”, avaliam os analistas.

Os papéis substituem Vale (VALE3) e SLC Agrícola (SLCE3), de commodities. A mineradora, a propósito, foi um dos papéis que mais sofreu no mês de julho, acumulando queda de quase 9%.

“Decidimos eliminar nossa exposição a exportadores de soft commodities e metálicas devido à desaceleração da atividade econômica global e à dificuldade em prever o resultado do conflito Rússia-Ucrânia”, dizem.

A carteira completa do banco conta ainda com os papéis de Petrobras (PETR3/PETR4), Weg (WEGE3), Banco do Brasil (BBAS3), Localiza (RENT3), Sabesp (SBSP3), Lojas Renner (LREN3), Totvs (TOTS3) e Minerva (BEEF3)

Segundo o banco, as escolhas reforçam a estratégia de privilegiar ações com “preços razoáveis, alta qualidade e liquidez”.

Conheça a tese por trás da carteira recomendada completa

Veja também