Invest

É possível investir na Saudi Aramco? Companhia anunciou US$ 31 bi em dividendos

ETF listado no Brasil por meio de BDRs possui ações da petrolífera em sua composição; empresa não tem papéis negociados nos EUA

Saudi Aramco: companhia é a única entre as 5 mais valiosas do mundo fora do setor de tecnologia (Ahmed Jadallah/Reuters)

Saudi Aramco: companhia é a única entre as 5 mais valiosas do mundo fora do setor de tecnologia (Ahmed Jadallah/Reuters)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 11 de março de 2024 às 12h03.

Última atualização em 11 de março de 2024 às 12h26.

A Saudi Aramco anunciou que irá distribuir US$ 31 bilhões em dividendos como parte do resultado do quarto trimestre. A companhia registrou lucro líquido de US$ 121,3 bilhões no período, representando uma queda anual de 24,7%.

A companhia é a maior petrolífera do mundo e a única fora do setor de tecnologia com mais de US$ 2 trilhões em valor de mercado. Apesar do tamanho, as ações da companhia são de difícil acesso para o pequeno investidor, listadas apenas no mercado saudita sob o ticker 2222. A companhia sequer possui ADRs no mercado americano, como tantas outras companhias listadas originalmente fora dos Estados Unidos, como Petrobras ou Vale.

Quem quiser ter as ações da Saudi Aramco precisa, necessariamente, ter acesso direto à bolsa de valores da Arábia Saudita. Outra opção é por meio do ETF iShares MSCI Saudi Arabia (KSA). 

ETF KSA: prós e contras

O ETF é listado no mercado americano e possui as ações da Saudi Aramco em sua composição. A boa notícia é que o fundo que segue o mercado saudita está disponível no Brasil por meio do BDRS BKSA39.

A má notícia é que o investidor que comprar o ETF terá uma exposição de apenas 6,37% na petrolífera e restante em outras empresas do país. Outras duas empresas têm peso maior que a Saudi Aramco no índice: são os bancos Al Rajhi, com 12,73% de participação, e The Saudi National Bank, com 8,90%.

O ETF KSA acumula alta de 5,3% no ano, mesmo com as ações da Saudi Aramco com cerca de 3,5% de queda. Desde sua criação, em 2015, o ETF subiu 121%. A taxa de administração do ETF é de 0,74%.

Acompanhe tudo sobre:Saudi AramcoAçõesDividendosETFs

Mais de Invest

Por que Mohamed El-Erian, guru de Wall Street, está otimista com o cenário econômico

Ibovespa abre em queda puxado por Vale (VALE3)

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio acumulado em R$ 61 milhões

Balanços da Tesla e Alphabet, Kamala Harris e corte de gastos no Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame