Dona de League of Legends e PUBG, Tencent tem primeira queda de receita da história

Companhia vê indústria de games passando por "digestão pós-pandêmica" e culpa medidas do governo da China por pior desempenho no mercado local
Estúdio do campeonato brasileiro de League of Legends, o CBLOL, no escritório da Riot Games em São Paulo: empresa pertence ao grupo Tencent (Luísa Granato/Exame)
Estúdio do campeonato brasileiro de League of Legends, o CBLOL, no escritório da Riot Games em São Paulo: empresa pertence ao grupo Tencent (Luísa Granato/Exame)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 17/08/2022 às 09:06.

Última atualização em 17/08/2022 às 09:19.

A Tencent, uma das maiores holdings de tecnologia da China e dona de jogos de sucesso como League of Legends e PUBG, registrou sua primeira queda de receita em balanço do segundo trimestre divulgado nesta quarta-feira, 17. As receitas totais da companhia caíram 3% frente ao mesmo período do ano passado para US$ 20 bilhões.

O lucro atribuído aos acionistas foi de US$ 2,8 bilhões, representando uma queda anual de 56%, enquanto a margem líquida desabou de 31% para 14%.

Cerca da metade da receita da Tencent vem de jogos eletrônicos, sendo os de celular o principal negócio dentro da empresa. A queda da receita nessa frente foi de 2%, com perdas puxadas pelos games PUBG Mobile e Brawl Stars. O League of Legends também teve peso negativo no resultado final, segundo a empresa.

A receita da divisão de jogos para o mercado doméstico, que também inclui games de outras plataformas, como PC, caiu em 1%. A empresa atribuiu a queda de receita local à menor atividade da indústria de jogos da China, que passou por "menos lançamentos de grandes jogos e menor gasto do usuário".

A Tencent também afirmou que medidas do governo para "proteger" os usuários mais jovens, como restrições de tempo de jogo, prejudicaram o resultado. Honour of Kings e Peacekeeper Elite foram os jogos mais rentáveis da companhia na China, com significativo aumento do tempo jogado por adultos.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Crise pós-pandêmica? 

Mas os problemas de receita não ficaram restritos ao mercado de games local. Na frente de jogos para o exterior, o faturamento da Tencent recuou 1%. O resultado, segundo a empresa, foi afetado pela volta das atividades offline, após o período de reclusão pela covid-19.

"O mercado internacional de games está passando por uma digestão pós-pandêmica", admitiu a Tencent. "No entanto, acreditamos que estamos avançando em nossas iniciativas estratégicas".

Na frente de investimentos, a empresa ressaltou a compra da SYBO, desenvolvedora do game Subway Surfers, por sua subsidiária europeia Miniclip. A compra, segundo a Tencent, elevou o número de usuários ativos únicos do Miniclip de 30 milhões para 70 milhões.