Acompanhe:

Demissão na Amazon: por que a empresa está cortando funcionários?

Dave Limp, vice-presidente sênior de dispositivos e serviços da Amazon, falou publicamente sobre o assunto pela primeira vez

Centro de distribuição da Amazon: empresa dá início ao corte de funcionários (Leandro Fonseca/Exame)

Centro de distribuição da Amazon: empresa dá início ao corte de funcionários (Leandro Fonseca/Exame)

G
Guilherme Guilherme e Beatriz Quesada

Publicado em 16 de novembro de 2022, 16h50.

Última atualização em 16 de novembro de 2022, 17h01.

Após notícias de que a Amazon se prepara para demitir cerca de 10.000 funcionários nesta semana, um de seus diretores falou publicamente sobre o assunto pela primeira vez.

O vice-presidente sênior de dispositivos e serviços da Amazon, Dave Limp, fez um post no blog da empresa informando sobre as demissões na equipe. O executivo afirmou que o ambiente macroeconômico negativo está levando algumas equipes a fazer ajustes, fazendo com que “certas funções não sejam mais necessárias”.

A empresa não confirmou quantos funcionários devem ser demitidos, mas de acordo com o New York Times, as baixas devem atingir 3% da mão-de-obra contratada pela empresa. As ações da Amazon caíram mais de 2% na segunda-feira, 14, data da reportagem.

Ainda segundo o New York Times, a Amazon já havia congelado contratações de equipes menores em setembro. O congelamento teria passado a valer para toda a empresa há duas semanas.

As demissões ocorrem a poucas semanas do período mais intenso de vendas do varejo, com a chegada da Black Friday, no fim do mês, e das compras de fim de ano associadas ao Natal.

Além da Amazon, outras big techs americanas foram atingidas por planos de demissão em massa. Na lista estão presentes Netflix, Tesla, Twitter, Coinbase e Meta. Como parte da redução de custos, inclusive, a dona do Facebook deve fechar seu escritório na Infinity Tower, um dos edifícios mais caros da capital paulista.

Ainda não há informações sobre se os planos de demissão da Amazon afetaram operações da varejista no Brasil.

As demissões nos Estados Unidos têm como pano de fundo a piora das perspectivas para a economia americana diante de taxas de juros e de inflação mais altas. Desde o início do ano, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) subiu sua taxa de juro de próximo de 0% para o intervalo entre 3,75% e 4%, sendo que novas altas ainda estão previstas.

Os efeitos da desaceleração econômica já são sentidos nos balanços trimestrais das principais companhias americanas. Uma delas é a própria Amazon, que viu seu lucro líquido diminuir em 9% no terceiro trimestre. Pressionado pelo aumento de despesas, o lucro operacional da Amazon desabou 48% no período para US$ 2,5 bilhões.

Veja o comunicado completo de Dave Limp abaixo:

“Pessoal,

Em nossa última assembleia, em julho, falei um pouco sobre o estado de nossa economia. Como sabem, continuamos a enfrentar um ambiente macroeconómico incomum e incerto. Diante disso, trabalhamos nos últimos meses para priorizar ainda mais o que é mais importante para nossos clientes e negócios. Após um profundo conjunto de avaliações, recentemente decidimos consolidar algumas equipes e programas. Uma das consequências dessas decisões é que algumas funções não serão mais necessárias. É doloroso ter que dar esta notícia, pois sabemos que, como resultado, perderemos funcionários talentosos da divisão de Dispositivos e Serviços. Estou incrivelmente orgulhoso da equipe que construímos e ver um membro valioso da equipe sair nunca é algo que qualquer um de nós espera que aconteça.

Notificamos os funcionários afetados ontem e continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com cada indivíduo para fornecer suporte – inclusive ajudando a encontrar novas posições. Nos casos em que os funcionários não conseguem encontrar uma nova função dentro da empresa, apoiaremos a transição com um pacote que inclui pagamento de rescisão, benefícios transitórios e suporte externo para colocação profissional. Sabemos que as pessoas em toda a companhia podem ser impactadas de maneira diferente por esta notícia e conduziremos [o processo] com compaixão por todos os membros da equipe.

Embora eu saiba que esta notícia é difícil de digerir, quero enfatizar que a divisão de Dispositivos e Serviços continua sendo uma importante área de investimento para a Amazon, e continuaremos a inventar em nome de nossos clientes. Tendo passado por momentos como este no passado, sei que quando há uma economia difícil, os clientes tendem a gravitar para as empresas e produtos que acreditam ter a melhor experiência do cliente e que cuidam melhor deles. Historicamente, a Amazon tem feito um trabalho muito bom nisso.

Obrigado pelo apoio e empatia que sei que nossa equipe terá durante esse período. Não hesite em entrar em contato comigo ou com seu gerente se tiver alguma dúvida.

Dave”