Invest

Como a Eztec se prepara para a retomada do "Minha Casa, Minha Vida"

Incorporadora planeja acelerar volume de lançamentos no segundo semestre por meio de marca que estava há dois anos parada

Eztec: vendas brutas somam R$ 481 milhões (Eztec/Divulgação)

Eztec: vendas brutas somam R$ 481 milhões (Eztec/Divulgação)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 30 de julho de 2023 às 09h36.

A Eztec está preparando o lançamento de sete empreendimentos no segundo semestre na cidade de São Paulo e região metropolitana, com valor geral de vendas (VGV) de R$ 1,2 bilhão - o dobro do realizado no primeiro semestre.

O plano inclui a retomada de projetos do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) por meio da FitCasa, a marca própria do grupo para atuar dentro do programa habitacional, mas que estava sem realizar lançamentos há dois anos.

Segundo o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Emílio Fugazza, esses preparativos denotam um aumento da confiança na economia brasileira e no mercado imobiliário após a recuperação das vendas nos últimos meses.

"Nós vamos lançar mais do que estávamos imaginando", afirma, em entrevista ao Broadcast(sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado). Ele pondera, entretanto, que a projeção não constitui uma meta oficial. "Essa é a totalidade dos lançamentos em que estamos trabalhando e não constitui guidance."

Fugazza relembra que a Eztec entrou em 2023 com foco em reduzir a quantidade dos imóveis nos estoques, mas que a confiança aumentou depois dos resultados recentes. O primeiro semestre foi marcado pelo recorde nas vendas brutas da incorporadora, com boa liquidez de apartamentos em fase de obras ou já prontos.

Em sua avaliação, isto foi resultado de dois fatores. O primeiro foi o reforço nas ações de venda, com campanhas publicitárias, eventos de corretores e atração de clientes pelas lojas que reúnem as plantas decoradas. Os descontos foram pontuais, como de praxe, e sem impacto relevante nos preços, segundo o diretor.

Além disso, tem sido percebida uma mudança no humor dos compradores de imóveis em virtude de um cenário político mais calmo, proximidade dos cortes de juros e reformas fiscal e tributária. "A sociedade está mais confiante de que não vai perder renda", diz, referindo-se à melhora das vendas.

Próximos projetos

Do total de sete lançamentos em preparação para o segundo semestre, dois deles serão juntos com a construtora parceira Lindenberg, no Brooklin e na Lapa. Há mais um projeto 100% próprio previsto na Chácara Inglesa.

A grande novidade será a retomada de lançamentos da FitCasa. A companhia terá um projeto na região da Vila Prudente no semestre além de outros três empreendimentos em parcerias.

Os projetos 100% próprios dentro do MCMV, via FitCasa, foram colocados de lado pela Eztec desde 2021 por conta da disparada nos custos de materiais de construção. Agora eles voltam aos planos graças ao reajuste do governo no programa, elevando o teto de preços de R$ 264 mil para R$ 350 mil.

"Os projetos que tinham perdido viabilidade econômica agora se reenquadraram", diz Fugazza. "O Minha Casa Minha Vida é um segmento que vai crescer em volume de lançamentos nos próximos anos".

Acompanhe tudo sobre:EztecMinha Casa Minha Vida

Mais de Invest

Ibovespa perde os 129 mil pontos com incertezas fiscais no radar; dólar dispara 1,24% a R$ 5,551

Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira prêmio acumulado em R$ 47 milhões

Ações da Volvo sobem 7% enquanto investidores aguardam BCE

Caixa começa a pagar nesta quinta-feira o Bolsa Família de julho; veja calendário

Mais na Exame