Mercados

Com acordo de leniência, CCR reduz pedágio e ações caem forte na Bolsa

A Rodonorte reconheceu o pagamento de propinas para a obtenção de modificações contratuais benéficas à concessionária desde o ano 2000

CCR: a empresa se compromete a pagar 750 milhões de reais até 2021 (Valéria Gonçalves/EXAME.com/Exame)

CCR: a empresa se compromete a pagar 750 milhões de reais até 2021 (Valéria Gonçalves/EXAME.com/Exame)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 7 de março de 2019 às 11h05.

Última atualização em 7 de março de 2019 às 12h23.

São Paulo -  As ações da concessionária de rodovias CCR seguem em queda na Bolsa nesta quinta-feira. Por volta das 12h20, os papéis registravam desvalorização de 6%. Na semana, a baixa acumulada é de 8,96%.

Ontem, a força-tarefa que coordenada a operação Lava Jato no Ministério Público Federal no Paraná firmou acordo de leniência com a Rodonorte, concessionária de rodovias do grupo CCR, em que a empresa se compromete a pagar 750 milhões de reais até 2021.

O acordo envolve "diversos atos de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados a contrato de concessão firmado entre o Estado do Paraná, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), o Ministério dos Transportes e a concessionária".

"Dentre outros fatos, a Rodonorte reconheceu o pagamento de propinas para a obtenção de modificações contratuais benéficas à concessionária desde o ano 2000", afirmou o MPF/PR.

Em comunicado enviado ao mercado, a CCR afirmou que do total do acordo, 350 milhões envolvem redução de 30% no valor de pedágio de todas as praças de cobrança da concessionária por pelo menos 12 meses.  Outros 365 milhões de reais são relativos a obras a serem realizadas pela empresa. A multa em si é de 35 milhões de reais.

Acordo em São Paulo

Hoje, uma matéria publicada pelo Valor Econômico afirma CCR pode fechar ainda neste ano um novo acordo de leniência com o Ministério Público de São Paulo envolvendo o pagamento de multas que devem superar os R$ 750 milhões do acordo fechado pela controlada Rodonorte com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

Em fato relevante publicado, a CCR afirmou que não tem conhecimento sobre novas investigações conduzidas pelo Ministério Público do Estado de São Paulo envolvendo a companhia ou suas controladas e que continua contribuindo com as autoridades públicas no âmbito dos acordos firmados pela CCR e pela Rodonorte.

Acompanhe tudo sobre:acordos-de-lenienciabolsas-de-valoresCCRCorrupçãoIbovespaMercado financeiroPedágio

Mais de Mercados

Ibovespa opera em queda puxado por Vale (VAL3) e Petrobras (PETR4)

Galípolo, vendas do varejo nos EUA e Eneva (ENEV3): o que move o mercado

Atentado eleva patrimônio de Trump em R$ 6,5 bilhões

Cade abre procedimento para apurar acordo de codeshare da Azul e Gol

Mais na Exame