Vendas no varejo crescem 0,7% em julho, diz Cielo

O dado é de acordo com o seu Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA); região Norte apresentou maior expansão
Cielo (CIEL3) (SOPA IMAGES/Getty Images)
Cielo (CIEL3) (SOPA IMAGES/Getty Images)
Roberto Bodetti
Roberto BodettiPublicado em 15/08/2022 às 14:47.

A Cielo (CIEL3) divulgou nesta segunda-feira, 15, que as vendas no varejo cresceram 0,7% em julho se comparado com o mesmo período em 2021. O número representou desaceleração frente à alta anual de 5,9% em junho.

O dado é de acordo com o seu Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), e desconta a inflação. A companhia também afirma que, em termos nominais, o ICVA registrou alta de 15,3%.

As vendas foram impactadas pelo calendário do mês de julho, que contou com um domingo a mais, dia em que as vendas são mais fracas, e com uma quinta-feira a menos, dia em que o comércio está mais aquecido se comparado com o mesmo período no ano passado.

Desconsiderando os efeitos de calendário, o varejo registrou um crescimento nominal de 16,9%. Além disso, num comparativo deflacionado, o aumento nas vendas foi de 2,1%.

Diego Adorno, gerente de produtos de dados da Cielo, diz que o comércio ainda está em recuperação e que como os setores ligados às férias foram importantes para o crescimento do mês.

“O mês de julho foi o nono seguido de alta nas vendas no varejo, apesar de uma desaceleração em relação a junho. Os segmentos mais ligados ao período de férias, como turismo e transporte, deram importante contribuição para o crescimento do varejo”

Voltando os olhares para um crescimento por região, e de acordo com o crescimento real do ICVA, todas as regiões do país registraram um aumento comparado a julho de 2021. Os crescimentos foram de respectivamente:

  • Norte: 7,5%
  • Sul: 3,6%
  • Nordeste: 2,1%
  • Centro-Oeste: 1,7%
  • Sudeste: 0,9%

Resultados da Cielo (CIEL3) no 2T22

No segundo trimestre do ano a Cielo registrou um lucro líquido de R$ 635 milhões, o maior já registrado desde o quarto trimestre de 2018 e que representa um crescimento de 252% num comparativo ano após ano.

A receita líquida da companhia nos meses de abril a junho foi de R$ 1,56 bilhão, um crescimento de 34,3% num comparativo com o mesmo período de 2021. O resultado é justificado pela companhia como um reflexo da expansão dos volumes e a recuperação de yield da receita da empresa.

Quanto ao lucro antes de juros impostos depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Cielo, o total foi de R$ 1,183 bilhão, 103,7% acima do resultado obtido no mesmo período no ano passado.