Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Vendas no varejo crescem 0,7% em julho, diz Cielo

O dado é de acordo com o seu Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA); região Norte apresentou maior expansão

Modo escuro

Cielo (CIEL3) (SOPA IMAGES/Getty Images)

Cielo (CIEL3) (SOPA IMAGES/Getty Images)

R
Roberto Bodetti

Publicado em 15 de agosto de 2022 às, 14h47.

A Cielo (CIEL3) divulgou nesta segunda-feira, 15, que as vendas no varejo cresceram 0,7% em julho se comparado com o mesmo período em 2021. O número representou desaceleração frente à alta anual de 5,9% em junho.

O dado é de acordo com o seu Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), e desconta a inflação. A companhia também afirma que, em termos nominais, o ICVA registrou alta de 15,3%.

As vendas foram impactadas pelo calendário do mês de julho, que contou com um domingo a mais, dia em que as vendas são mais fracas, e com uma quinta-feira a menos, dia em que o comércio está mais aquecido se comparado com o mesmo período no ano passado.

Desconsiderando os efeitos de calendário, o varejo registrou um crescimento nominal de 16,9%. Além disso, num comparativo deflacionado, o aumento nas vendas foi de 2,1%.

Diego Adorno, gerente de produtos de dados da Cielo, diz que o comércio ainda está em recuperação e que como os setores ligados às férias foram importantes para o crescimento do mês.

“O mês de julho foi o nono seguido de alta nas vendas no varejo, apesar de uma desaceleração em relação a junho. Os segmentos mais ligados ao período de férias, como turismo e transporte, deram importante contribuição para o crescimento do varejo”

Voltando os olhares para um crescimento por região, e de acordo com o crescimento real do ICVA, todas as regiões do país registraram um aumento comparado a julho de 2021. Os crescimentos foram de respectivamente:

  • Norte: 7,5%
  • Sul: 3,6%
  • Nordeste: 2,1%
  • Centro-Oeste: 1,7%
  • Sudeste: 0,9%

Resultados da Cielo (CIEL3) no 2T22

No segundo trimestre do ano a Cielo registrou um lucro líquido de R$ 635 milhões, o maior já registrado desde o quarto trimestre de 2018 e que representa um crescimento de 252% num comparativo ano após ano.

A receita líquida da companhia nos meses de abril a junho foi de R$ 1,56 bilhão, um crescimento de 34,3% num comparativo com o mesmo período de 2021. O resultado é justificado pela companhia como um reflexo da expansão dos volumes e a recuperação de yield da receita da empresa.

Quanto ao lucro antes de juros impostos depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Cielo, o total foi de R$ 1,183 bilhão, 103,7% acima do resultado obtido no mesmo período no ano passado.

Últimas Notícias

ver mais
Dólar na máxima em 10 meses, encontro de Lula e Campos Neto e o que mais move o mercado
seloMercados

Dólar na máxima em 10 meses, encontro de Lula e Campos Neto e o que mais move o mercado

Há 3 horas
Fundador do grupo imobiliário chinês Evergrande é alvo de operação policial
seloMercados

Fundador do grupo imobiliário chinês Evergrande é alvo de operação policial

Há 3 horas
Brasil considera adiar emissão ESG com piora do humor nas bolsas globais
seloMercados

Brasil considera adiar emissão ESG com piora do humor nas bolsas globais

Há 16 horas
Ouro fecha em queda, com dólar forte e sinais do Fed em foco
seloMercados

Ouro fecha em queda, com dólar forte e sinais do Fed em foco

Há 16 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais