Mercados

Cielo afunda na Bolsa com renúncia de presidente

Eduardo Gouveia anunciou a saída da companhia por questões familiares

Gouveia: minha passagem pela Cielo foi, certamente, uma das mais ricas de minha vida (Leandro Fonseca/Reprodução)

Gouveia: minha passagem pela Cielo foi, certamente, uma das mais ricas de minha vida (Leandro Fonseca/Reprodução)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 13 de julho de 2018 às 10h37.

Última atualização em 13 de julho de 2018 às 10h55.

São Paulo - As ações da Cielo abriram o pregão em queda de 6,34% na manhã desta sexta-feira. Os papéis eram negociados na casa dos 15 reais.

O mercado repercute a renúncia do presidente da companhia anunciada nesta terça-feira. Segundo fato relevante, Eduardo Gouveia, diretor presidente, apresentou uma carta renunciando ao cargo por questões de foro pessoal e familiar.  

O executivo estava à frente da companhia há um ano e meio.

“Minha passagem pela Cielo foi, certamente, uma das mais ricas de minha vida, no aspecto tanto profissional quanto pessoal. Sair foi a decisão mais difícil que já tomei. Demandou muito tempo e muita reflexão”, afirma na carta de renúncia. E conclui: “Saio com sentimento de missão cumprida por ter dado passos firmes na direção correta”, disse.

Para o lugar de Gouveia, foi indicado Clovis Poggetti, vice-presidente executivo de finanças e Diretor de Relações com Investidores.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresCIEL3CieloCVMIbovespaMercado financeiroPresidentes de empresa

Mais de Mercados

Cenário é potencialmente o mais perigoso desde a 2ª Guerra, diz Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan

Bancos abrem temporada de balanços em queda nos EUA; Wells Fargo despenca 7%

Ibovespa sobe pelo 10º pregão seguido e fecha próximo dos 129 mil pontos

Balanços de bancos americanos, PPI dos EUA e pesquisa de serviços do Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame