China anuncia suspensão de "circuit breaker" nas bolsas

A decisão ocorreu depois que o novo mecanismo, que entrou em funcionamento nesta mesma semana, causou o fechamento antecipado dos mercados em duas ocasiões

Pequim - A China anunciou nesta quinta-feira a suspensão, a partir de amanhã, do mecanismo automático de suspensão das bolsas - o chamado "circuit breaker" - em caso de movimentos bruscos, informou a agência oficial "Xinhua".

A decisão ocorreu depois que o novo mecanismo, que entrou em funcionamento nesta mesma semana, causou o fechamento antecipado dos mercados em duas ocasiões, na segunda-feira e hoje, e que as turbulências afetaram bolsas de todo o mundo.

"Atualmente os efeitos negativos do mecanismo são maiores que os efeitos positivos. Portanto, a Comissão Reguladora do Bolsa de Valores da China decide suspender o mecanismo interruptor para manter a estabilidade do mercado", disse um porta-voz do órgão, Deng Ken, em comunicado.

O mecanismo entrou em vigor no primeiro pregão deste ano, dentro de uma série de medidas aplicadas pelas autoridades de Pequim para evitar as fortes quedas que aconteceram em 2015 e contagiaram os mercados mundiais.

Trata-se de um sistema que estabelece que, quando o índice conjunto CSI 300 (que reúne 300 valores cotados nas bolsas de Xangai e Shenzhen) cai ou sobe 5%, é feita uma parada automática de 15 minutos.

Se após o reinício os movimentos acentuados continuarem e houver uma variação de 7%, será suspenso o pregão até o dia seguinte.

Além da suspensão do mecanismo interruptor, outra medida anunciada anteriormente pela Comissão Reguladora da Bolsa de Valores da China (CRMV) para tentar estabilizar os mercados consiste em limitar a capacidade de venda de títulos dos grandes acionistas chineses a um máximo de 1% do total de ações de uma companhia.

Desta maneira, estes grandes acionistas (possuidores de 5% ou mais dos títulos de uma empresa) não poderão se desfazer de mais de 1% do total em um prazo de três meses e, além disso, são obrigados a anunciar ao mercado seus planos de fazê-lo com pelo menos 15 dias de antecedência.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.