Madero recebe aporte de R$ 300 milhões, após prejuízo milionário

Investimento será feito pelo grupo americano Grupo Carlyle, que já é acionista da rede, e será usado na expansão do grupo
 (Madero/Divulgação)
(Madero/Divulgação)
A
Agência O Globo

Publicado em 22/11/2021 às 09:26.

Última atualização em 22/11/2021 às 12:52.

Depois de divulgar o balanço na semana passada com prejuízo de R$ 115,2 milhões nos últimos nove meses e adiar o seu IPO (oferta pública inicial de ações), a rede de restaurantes Madero vai receber um aporte de R$ 300 milhões.

A empresa de Junior Durski fechou acordo com a empresa americana de private equity Carlyle Group, através do veículo Madrid Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia.

A empresa já é acionista da rede, com participação em torno de 27%. Pelo acordo firmado nesta segunda-feira, a Carlyle compra mais de 2,4 milhões de ações ordinárias adicionais. Durski continua como o acionista controlador do grupo Madero.

Os R$ 300 milhões serão investidos na expansão da companhia, apesar da dívida líquida quase bilionária.

Dívida de quase R$ 1 bilhão

Até setembro, a dívida do Madero totalizou R$ 981,1 milhões, um aumento de R$ 328,8 milhões em relação a dezembro de 2020. De acordo com o balanço da empresa, o salto nos débitos é reflexo do fechamento dos restaurantes, por causa da pandemia, e da adaptação de cozinhas e entregas.

Apesar da dívida, o grupo abriu 27 restaurantes neste ano, sendo 12 no terceiro trimestre, entre suas marcas Jeronimo, Madero Container e Madero Steak House.

Em seu balanço, o Madero reforça que a estratégia é seguir com a expansão das suas marcas nos próximos anos e que possui a meta de realizar um IPO assim que “o mercado de capitais apresentar condições" para tal.

No início de outubro, o grupo decidiu protelar seu IPO, após chegar a um acordo com seus credores.

 Aproveite a nova temporada de balanços para investir! Baixe o e-book gratuito "Indicadores de valor: como ler o balanço de uma empresa"