Acompanhe:

Cade aprova compra pela Light de 49% das ações da Axxiom detidas pela Cemig

A Axxiom é uma joint venture formada pela Light e Cemig, que atua no fornecimento de softwares sob encomenda com soluções para empresas do setor energético brasileiro

 (Divulgação/Divulgação)

(Divulgação/Divulgação)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 25 de janeiro de 2023, 11h37.

Última atualização em 25 de janeiro de 2023, 11h38.

A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a compra, pela Light (LIGT3), de 49% do capital social da Axxiom, atualmente detidas pela Cemig. O despacho pela aprovação está publicado na edição desta quarta-feira, 25, do Diário Oficial da União.

A operação foi anunciada no dia 22 de dezembro de 2022. A Axxiom é uma joint venture formada pela Light e Cemig, que atua no fornecimento de softwares sob encomenda com soluções para empresas do setor energético brasileiro. A Axxiom também possui experiência no desenvolvimento de projetos de P&D.

Atualmente, a Light detém 51% do capital social da Axxiom e, com a operação, consolidará o controle na empresa, detendo 100% do capital social. O parece do Cade não informa o valor da transação por ser de acesso restrito. Mas, quando anunciou a compra, a Light informou que o valor seria simbólico, de R$ 1 00.

"Como justificativa para a realização da Operação, as Requerentes explicaram que, para o Grupo Light, a Operação representa uma oportunidade para que a Light consolide seu controle na Axxiom, de forma a permitir maior alavancagem operacional do negócio da Empresa-Alvo. Já para a Cemig, a Operação representa uma oportunidade de negócio que está alinhada com o planejamento estratégico da empresa", diz o parecer do Cade.