BTG eleva recomendação de WEG (WEGE3) para compra e vê valorização de 75%

É a primeira vez que a equipe de análise de ações do banco eleva a recomendação da WEG para compra. Em relatório, o BTG ressalta a solidez dos resultados da empresa
WEG: BTG vê valorização de até 75% no preço da ação (WEG/Divulgação)
WEG: BTG vê valorização de até 75% no preço da ação (WEG/Divulgação)
Bianca Alvarenga
Bianca Alvarenga

Publicado em 20/06/2022 às 12:25.

Última atualização em 20/06/2022 às 12:28.

Com uma queda de 28% no ano, as ações da WEG (WEGE3) representam, agora, uma oportunidade de compra. Essa é a visão do BTG Pactual, que divulgou relatório a clientes sobre a empresa nesta segunda-feira, 20. A equipe de análise do banco elevou a recomendação do papel para compra, e estipulou um preço-alvo de R$ 40 em 12 meses, o que significa uma valorização de 75% em relação à cotação de fechamento da última sexta-feira, 17.

O BTG nunca havia antes classificado a WEG como compra – por muitos anos, a recomendação para a ação permaneceu sendo neutra. A reavaliação acontece, principalmente, por duas razões: o momento de alta volatilidade nas bolsas globais e a solidez de geração de resultados da WEG.

"A crescente aversão ao risco nas bolsas em todo o mundo está forçando os investidores a buscar ativos defensivos. Inevitavelmente, decidimos revisar nosso modelo para WEGE3, discutindo tendências e reconsiderando nossa aposta na empresa, em vista do momento de baixa do mercado", observou a equipe de research do BTG, em relatório.

Diversificação e modelo de negócios sólido

A principal razão para o BTG nunca antes ter classificado a WEG como compra era o prêmio exagerado embutido no preço do papel, em relação aos seus pares globais. No entanto, a queda de 28% nas ações da empresa em 2022 reduziu o prêmio para o menor valor em 5 anos, o que, segundo o banco, oferece um bom ponto de entrada para a ação.

Além disso, os fundamentos da empresa seguem sólidos. A equipe de análise do banco lembra que a WEG provou eficiência em suas entregas mesmo durante a pandemia, quando houve uma crise nas cadeias industriais.

Olhando para a frente, a capacidade de geração de resultados parece bastante promisora. O BTG resumiu o modelo de negócios da WEG em três vertentes:

  • um ciclo de construção de produtos, verticalização industrial e aumento de competitividade;
  • flexibilidade de portfólio, uma vez que seus motores elétricos são aplicados em diversos processos industriais, e o próprio modelo de processos industriais e modulares minimiza a exigência de capital;
  • e, por fim, a diversificação de produtos expõe a WEG a várias tendências do setor, reforçando também seu forte apelo ESG.

Energia mais cara

O banco lembra, também, que o mercado global está vivendo um contexto de encarecimento de commodities e energia. Por isso, empresas de diversos setores têm buscado investimentos para melhorar seus processos e eficiência energética. Nesse cenário, a demanda por digitalização e automação da indústria tende a ser cada vez maior.

O crescimento estimado do lucro operacional (EBITDA) é de 16% ao ano, até 2025. Tal valor está acima da média dos pares globais da WEG, o que justificaria o prêmio que a ação ainda carrega, apesar da queda no ano.

"Quando pensamos em uma empresa para 'buy and hold', independente do preço, pensamos na WEG uma visão geralmente ofuscada por um valuation acima da média. Hoje, o valuation não é mais um ponto de resistência para nós", explicou o BTG.

As ações da WEG registravam valorização de 6% no início da tarde desta segunda-feira e estavam entre as maiores altas do Ibovespa.