Mercados

Bovespa avança e busca 60 mil pontos em sessão volátil

Às 15:41, o Ibovespa subia 0,4 por cento, a 59.801 pontos, perto da máxima da sessão


	Bovespa: o quadro político e desdobramentos ligados ao ajuste fiscal seguiam no radar, bem como o noticiário corporativo
 (Dado Galdieri/Bloomberg)

Bovespa: o quadro político e desdobramentos ligados ao ajuste fiscal seguiam no radar, bem como o noticiário corporativo (Dado Galdieri/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de setembro de 2016 às 16h12.

São Paulo - O principal índice da Bovespa avançava na tarde desta terça-feira, véspera de feriado no Brasil, novamente atrelado ao rumo dos negócios em Wall Street, onde os principais índices acionários também mostraram melhora.

Às 15:41, o Ibovespa subia 0,4 por cento, a 59.801 pontos, perto da máxima da sessão. Mais cedo, caiu 0,64 por cento no pior momento, acompanhando o enfraquecimento dos pregões em Nova York. O volume financeiro na sessão somava 4,46 bilhões de reais.

O quadro político e desdobramentos ligados ao ajuste fiscal seguiam no radar, bem como o noticiário corporativo e a ata do Copom publicada mais cedo, que, na visão do UBS, deixou aberta a porta para um corte da Selic em outubro.

No exterior, Wall Street buscava se sustentar no território positivo, em sessão volátil, na esteira de ganhos de ações de energia e tecnologia, embora dados do setor de serviços limitassem os ganhos. O S&P 500 subia 0,2 por cento.

Destaques

- BRADESCO PN subia 0,7 por cento, com quase todas as ações de bancos do Ibovespa no azul, um dia após divulgar proposta de aumento da idade limite para o cargo de diretor-presidente, O Bradesco também informou a aprovação da cisão parcial do HSBC Brasil.

- KROTON ON subia 3,3 por cento e ESTÁCIO ON avançava 4 por cento, em destaque na ponta positiva do Ibovespa. As duas companhias estão em processo de fusão.

- EMBRAER ON valorizava-se em 2,9 por cento, engatando o oitavo pregão no azul. O papel é um dos poucos que acumula perdas em 2016 e no mês passado tocou mínima intradia desde janeiro de 2013. Nesta terça-feira, a rival Bombardier afirmou que sua receita anual ficará abaixo da faixa de estimativa diante de atrasos na entrega de motores pela fornecedora Pratt & Whitney. Procurada, a Embraer afirmou que o desenvolvimento de seus jatos E2 não deve sofrer impactos decorrentes dos problemas da fornecedora.

- VALE PNA subia 1,5 por cento e VALE ON ganhava 1,8 por cento, em sessão marcada pela debilidade dos preços do minério de ferro à vista <.IO62-CNI=SI> na China.

- JBS ON caía 3,7 por cento, ainda pressionada pela decisão da Justiça Federal de Brasília de afastar os irmãos e empresários Wesley e Joesley Batista, controladores de várias empresas incluindo a processadora de carnes, de função de direção de qualquer empresa ou grupo empresarial.

- PETROBRAS ON recuava 0,9 por cento e PETROBRAS PN perdia 0,22 por cento, com a fraqueza dos preços do petróleo corroborando um ajuste negativo nas ações após as mesmas atingirem na véspera máximas desde outubro de 2014 e maio de 2015, respectivamente.

- BB SEGURIDADE ON avançava 1,6 por cento, ajudando o viés de alta do pregão. As equipes do BTG Pactual e do Bradesco BBI reiteraram recentemente recomendação positiva para os papéis da empresa, que reúne as participações do Banco do Brasil em seguros e previdência.

- TIM ON avançava 3 por cento em meio à divulgação do plano de recuperação judicial da rival OI, que via suas ações ON caindo 2,4 por cento e as PNs despencando 9,5 por cento.

- FORJAS TAURUS PN, que não está no Ibovespa, perdia 5,9 por cento, com fraco volume de negócios. O Ministério da Defesa divulgou que constam nos registros do Exército autorizações para exportações de armamento leve pela empresa para o governo de Djibuti, e não para o Iêmen, em 2014 e 2015, após reportagem da Reuters informar que a empresa vendeu armamento a um conhecido traficante iemenita.

Acompanhe tudo sobre:3GArmasB3BancosBB Seguridadebolsas-de-valoresBradescoCarnes e derivadosCogna Educação (ex-Kroton)EmbraerEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas italianasempresas-de-tecnologiaEquipamentos e peçasJBSMáquinas e peçasMineraçãoOperadoras de celularServiçosSetor de educaçãoSetor de transporteSiderúrgicasTaurusTelecomunicaçõesTIMVale

Mais de Mercados

Biden sai e Kamala entra? Como o turbilhão nos EUA impacta as ações americanas, segundo o BTG

Por que Mohamed El-Erian, guru de Wall Street, está otimista com o cenário econômico

Ibovespa opera em queda puxado por Vale (VALE3)

Balanços da Tesla e Alphabet, Kamala Harris e corte de gastos no Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame