Invest

Bolsas da Europa fecham em alta, com recorde em Paris; Madri tem maior alta em 2024 com Zara

Ação da Inditex saltou 8,23% e fechou em máxima histórica

Zara: uma das marcas de luxo mais consumidas no mundo (Manaure Quintero/Bloomberg)

Zara: uma das marcas de luxo mais consumidas no mundo (Manaure Quintero/Bloomberg)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 13 de março de 2024 às 16h30.

Última atualização em 13 de março de 2024 às 16h44.

As bolsas europeias fecharam, majoritariamente, em alta, ainda que com ganhos mais moderados ante a forte valorização da véspera. O destaque ficou com Madri, onde o índice referencial teve o melhor desempenho do ano e maior nível desde 2018, embalado pelas ações da Inditex, controladora da Zara, depois do anúncio de resultados robustos.

O movimento positivo das ações foi suficiente para que o índice de Paris também renovasse o recorde. No pregão, os investidores seguiram assimilando o índice de inflação ao consumidor nos EUA, divulgado ontem, e que deixou um tom de cautela em relação às perspectivas para o alívio monetário pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

Em Madri, o Ibex-35 subiu 1,65%, aos 10.560,50 pontos, com seu maior ganho em quatro meses e nos maiores níveis desde 2018, segundo o El Confidencial. O ímpeto veio, sobretudo, da ação da Inditex, que saltou 8,23% e fechou em máxima histórica. Em balanço divulgado mais cedo, a controladora da Zara, Massimo Dutti e Bershka, informou alta de 10% nas vendas do ano fiscal de 2023, encerrado em 31 de janeiro.

A Inditex planeja aumentar os investimentos para satisfazer a forte procura que se estendeu até ao início do seu novo ano fiscal, à medida que o gigante da moda enfrenta a concorrência de rivais, incluindo a chinesa Shein. A Inditex disse ainda que teve um forte início de ano que começou em 1º de fevereiro, com vendas nas lojas físicas e online aumentando 11% até 11 de março em moeda local e ajustadas para dias de negociação.

O CAC 40, de Paris, atingiu recorde histórico de fechamento, ao subir 0,62%, aos 8.137,58 pontos. Em Londres, o índice FTSE 100 encerrou em alta de 0,31%, aos 7.772.17 pontos, ainda distante da máxima histórica de 16 de fevereiro, quando encerrou o pregão em 8.012.53 pontos. O DAX, de Frankfurt, perdeu força e cedeu 0,02% no fim do dia, aos 17.961,38 pontos, ainda perto do recorde de 17.965,11 pontos marcado ontem.

Em Paris, as ações da Vallourec subiram 7,41%, após a ArcelorMittal fechar um acordo para comprar a fatia da Apollo Global Management na fabricante francesa de tubos de aço, por € 955 milhões. A ArcelorMittal subiu 0,12% em Amsterdã.

Outro destaque positivo em Paris foi o BNP Paribas, que avançou 2,08%. O banco revelou que planeja devolver € 20 bilhões a acionistas entre 2024 e 2026.

A varejista online alemã Zalando também teve um dia de fortes ganhos e disparou 18,90%. A companhia atualizou sua estratégia de crescimento, depois que as vendas para 2023 continuaram caindo. No ano passado, a varejista registrou receitas de € 10,14 bilhões (US$ 11,08 bilhões, ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas de € 10,17 bilhões, de acordo com a FactSet.

Em Milão, o FTSE MIB subiu 0,39%, aos 33.885,43 pontos. O PSI 20 referencial da Bolsa de Lisboa, teve variação negativa de 0,53% encerrando o dia em 6.110,35 pontos.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresZaraEuropaShein

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena concurso 2752: prêmio acumulado é de R$ 58,1 milhões

Ações da Tesla caem no aftermarket após queda de 45% no lucro do 2º tri

Receita libera consulta ao 3º lote de restituição do IR 2024; veja como consultar

Como se tornar um trader? O que ele faz?

Mais na Exame