• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 59,31 +0,00%
  • Ouro 1.750,70 +0,00%
  • Prata 25,55 +0,00%
  • Platina 1.212,50 +0,00%

Bolsas na Europa se valorizam com alta das commodities

Londres - As principais ações europeias atingiram a máxima de 29 meses no fechamento desta segunda-feira. As mineradoras subiram após dados da China, que revelaram forte demanda por matérias-primas. Rumores sobre uma inflação abaixo do esperado no país também ajudaram a amenizar preocupações com a diminuição da demanda do mercado chinês.

Os ganhos, no entanto, foram ameaçados por quedas em ações de grandes bancos em antecipação aos resultados corporativos do setor que devem ser divulgados esta semana. As ações do Societe Generale e da BNP Paribas <.BNPP.PA> caíram 1 e 1,2 por cento, respectivamente.

O índice FTSEurofirst 300 <.FTEU3> fechou em alta de 0,3 por cento, em 1.177 pontos, seu maior nível desde setembro de 2008.

Ações de mineradoras, no índice STOXX Europe 600 <.SXPP>, subiram 1,5 por cento com a alta dos preços do cobre , que se aproximaram de recordes históricos. A alta ocorreu após dados revelarem uma queda no superávit comercial da China, cujas importações foram surpreendentemente altas, em especial do cobre.

"Os dados sobre as importações reafirmam que a China está crescendo e ajudam investidores a confiar nas mineradoras, assim como tornam possível acreditar que as altas nos juros não irão suprimir a demanda por metais em médio prazo", disse Joshua Raymond, estrategista de mercado da City Index.

Consolidando expectativas de um aumento na atividade de fusões e aquisições, as ações da firma de serviços energéticos britânica John Wood Group tiveram variação positiva de 13,6 por cento. A atividade se deve a planos do conglomerado da General Electric de comprar uma unidade da companhia por 2,8 bilhões de dólares.

Em LONDRES, o índice Financial Times <.FTSE> fechou em baixa de 0,05 por cento, a 6.060 pontos

Em FRANKFURT, o índice DAX <.GDAX> subiu 0,34 por cento, para 7.396 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 <.FCHI> recuou 0,11 por cento, para 4.096 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib <.FTMIB> encerrou em baixa de 0,26 por cento, a 22.637 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 <.IBEX> registrou desvalorização de 0,27 por cento, para 10.774 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 <.PSI20> teve variação positiva de 0,49 por cento, para 8.008 pontos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.