Bolsa de Milão inverte tendência negativa da abertura e opera em alta

Roma – A Bolsa de Milão inverteu a tendência negativa de sua abertura e, na metade do pregão, operava em alta de 1,12%, para 16.308 pontos.

Também o prêmio de risco, que é medido pela diferença entre os títulos italianos a dez anos e os alemães, caía para 375 pontos, 26 a menos do que no começo da manhã, quando marcou um novo recorde histórico, com 406 pontos.

Nos primeiros minutos de operações, o pregão milanês chegou a suspender a cotação dos títulos de onze empresas que perdiam entre 5% e 9%, entre elas os bancos Monte dei Paschi di Siena, Intesa San Paolo, Unicredit e Banco Popolare.

No entanto, por volta do meio-dia (horário local), as companhias bancárias viram suas cotações disparar, e com isso todos os títulos deste setor passaram a ter fortes altas. O Unicredit e o Intesa Sanpaolo, por exemplo, subiam 6,73% e 6,67%, respectivamente.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

ATENÇÃO: Mudança na sua assinatura da revista EXAME. A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos apenas uma edição por mês. Saiba mais