Invest

BlackRock negocia compra do Credit Suisse, diz jornal

Gestora americana avaliada em US$ 8,6 trilhões pode entrar na disputa pela compra do banco Credit Suisse, diz o FT

BlackRock: gestora americana pode estar negociando compra do Credit Suisse (Shannon Stapleton/Reuters)

BlackRock: gestora americana pode estar negociando compra do Credit Suisse (Shannon Stapleton/Reuters)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 18 de março de 2023 às 09h05.

Última atualização em 18 de março de 2023 às 09h07.

A BlackRock está em negociações para a compra do Credit Suisse, em resposta à crise de liquidez enfrentada pelo banco suíço. A proposta vem logo após o banco UBS também iniciar negociações para compra do banco em dificuldades.

De acordo com o Financial Times, a oferta da BlackRock seria superior à feita pelo UBS, o que contestaria a aprovação do Banco Nacional Suíço para os trâmites envolvendo o repasse do controle para o também suíço UBS.

Na BlackRock, as negociações estariam sendo conduzidas por Larry Fink, cofundador e executivo-chefe da gestora. A BlackRock, no entanto, negou neste sábado (18) que esteja participando de algum "plano para adquirir a totalidade ou parte do Credit Suisse e não tem interesse em fazê-lo”.

As duas propostas acontecem após o Banco Central do país conceder uma linha de crédito de emergência de 50 bilhões de francos suíços, cerca de 54 bilhões de dólares, para a instuição, na tentativa de estancar a crise de liquidez e fortalecer a confiança no setor bancário do país.

O que acontece a BlackRock comprar o Credit Suisse?

A BlackRock tem cerca de US$ 8,6 trilhões de ativos sob gestão. Atualmente, a gestora americana é também um dos principais clientes do banco de investimentos do Credit Suisse. Um acordo para a aquisição do braço americano da operação, nesse cenário, poderia beneficiar a BlackRock, segundo o FT.

Acompanhe tudo sobre:BancosBlackRockCredit SuisseUBS

Mais de Invest

Quanto rende R$ 1 milhão a 100% do CDI por dia?

Ibovespa abre em queda com investidores repercutindo atentado contra Trump

Suspensão de dividendos e troca de CEO: ações da Burberry despencam mais de 15%

Atentado contra Trump, cessar-fogo em Gaza, balanços e PIB da China: o que move o mercado

Mais na Exame