Acompanhe:

Bien Amigos: a parceria da Ambev e de Galvão Bueno fora dos campos

Na parceria com o narrador esportivo para lançar um novo rótulo de vinho, cervejaria faz sua entrada na categoria no Brasil de olho na expansão em novos negócios

Bien Amigos: lançamento marca a busca da Ambev por ampliar a capilaridade da distribuição dos vinhos Dante Robino no mercado brasileiro (Mariana Pekin/Divulgação)

Bien Amigos: lançamento marca a busca da Ambev por ampliar a capilaridade da distribuição dos vinhos Dante Robino no mercado brasileiro (Mariana Pekin/Divulgação)

R
Raquel Brandão

1 de dezembro de 2022, 19h35

Enquanto a bola rola na Copa do Mundo Catar, a Ambev (ABEV3) e a Bueno Wines, vinícola do narrador esportivo Galvão Bueno, começam a vender na Amazon as 18 mil garrafas do vinho Bien Amigo, lançado em parceria pelas duas. Vendido a R$ 89,90, é possível dizer que o rótulo é a primeira grande aposta da maior cervejaria do país no mercado de vinhos do Brasil - um  movimento que reforça a estratégia da Ambev de ir além da cerveja.

Em 2020, a dona das cervejas Brahma, Skol e Antarctica comprou a vinícola argentina Dante Robino, uma das 10 maiores em vendas no país vizinho. Por aqui, os rótulos da Dante já chegam por importação da Grand Cru, varejista especializada em vinhos. O lançamento do rótulo Bien Amigos, porém, marca a busca da Ambev por ampliar a capilaridade da distribuição dos vinhos Dante Robino e sua participação no mercado.

A partir de 2023, a companhia deve trazer três novos rótulos da Dante Robino para o Brasil em diferentes faixas de preço, indo de R$ 49,90 até R$ 100. Dessa vez, o objetivo é ampliar a venda para mais pontos do varejo físico, indo além da Grand Cru e no aplicativo da Ambev Zé Delivery e chegando tamvém a redes supermercadistas, como o GPA (PCAR3).

"Queremos fortalecer novas categoras, continuar em um ritmo de inovação constante e trazer novas parcerias", diz Daniela Cachich, presidente da divisão de outras bebidas além de cerveja, batizada agora de Match (misturas, álcool, tendências e cheers).

Hoje, a unidade de negócios ainda responde por um dígito baixo (algo entre 3% e 4%) do faturamento da Ambev, mas é uma das frentes em que a companhia mais vê chances de crescimento. E não é à toa. Embora o mercado brasileiro ainda seja bastante positivo para o consumo de cerveja, globalmente são justamente as outras bebidas que mais têm visto o consumo crescer.

Nos próximos cinco anos, por exemplo, os drinques prontos para beber (ready to drink), representado na Ambev pelas marcas Beats e Mike's, devem registrar volumes 44% maiores, segundo a consultoria IWSR, especialista no mercado de bebidas. Já o mercado de vinhos foi um dos que mais cresceu no Brasil nos últimos anos 

Haaaaja vinho

Criado em conjunto por ambas as equipes, o rótulo Bien Amigos aposta pelo inusitado blend de uvas Malbec argentinas, com taninos mais marcantes e estrutura mais potente, e Merlot brasileira, que é mais frutado com taninos refinados e macios. 

Além da Amazon, o rótulo é vendido no site da Bueno Wines, empresa do narrador. Com produção limitada a 18 mil garrafas, o rótulo de Galvão Bueno terá 12 mil unidades dedicadas à comercialização pela própria Ambev em homenagem à trajetória do narrador esportivo em Copas do Mundo: desde a estreia na partida entre Alemanha Ocidental e Austrália, em 1974, até o último jogo no Catar, são pouco mais de 18 mil dias como narrador da competição.