Banco Pan lucra R$ 195 mi no 1º tri e ultrapassa 19 milhões de clientes

Carteira de crédito avança 20%, enquanto inadimplência também sobe
Aplicativo do Banco Pan | Base de clientes avançou 94% em 12 meses (Banco Pan/Divulgação/Divulgação)
Aplicativo do Banco Pan | Base de clientes avançou 94% em 12 meses (Banco Pan/Divulgação/Divulgação)
Por Beatriz QuesadaPublicado em 05/05/2022 11:12 | Última atualização em 05/05/2022 11:12Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Banco Pan (BPAN4) divulgou na noite desta quarta-feira, dia 4, o seu resultado no primeiro trimestre de 2022, em que apresentou lucro líquido de R$ 195 milhões. O valor representa uma alta de 3% tanto na comparação anual quanto na trimestral.

Já a base de clientes avançou 94% em 12 meses, chegando a 19,4 milhões, totalizando R$ 36,2 bilhões de carteira de crédito, crescimento de 20%.

Veja também
Ambev: volta aos bares impulsiona lucro em 28,6% no 1º trimestre
Gerdau (GGBR4) registra alta de 19% no lucro do 1T22

O banco controlado pelo BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME) justificou o resultado com a “manutenção da margem financeira robusta e redução das despesas relacionadas à eficiência na aquisição de clientes”, considerando que o trimestre foi mais desafiador com a “aceleração da inflação, redução da renda das famílias brasileiras e aumento da incerteza”. A margem financeira gerencial do Pan foi de 17,5% no período.

O banco também informou que a carteira de crédito da instituição avançou 20% em 12 meses e 4% na comparação trimestral, para R$ 36,2 bilhões. 

Não perca as últimas tendências do mercado: assine a EXAME por menos de R$ 0,37 e receba notícias em primeira mão.

“Conseguimos crescer mesmo diante de um cenário macroeconômico desafiador e estamos satisfeitos com o desempenho do PAN neste primeiro trimestre. Tivemos bons resultados na originação de crédito, com 88% do nosso portfólio colateralizado”, afirmou, em nota, Carlos Eduardo Guimarães (Cadu), CEO do Pan.

A inadimplência, por outro lado, também avançou para 6,8%, frente a 6,3% no quarto trimestre de 2021 e ante 5,0% no primeiro trimestre do ano passado.